Videoconferência celebra parceria entre AGED e a Fetaema

Por Suyane Scanssette
29/11/2021     08:37

Uma videoconferência realizada entre representantes da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED) e a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras do Estado do Maranhão (Fetaema) celebrou o termo de parceria entre as instituições com a capacitação de 139 vacinadores regionais de 16 municípios que irão atuar durante a campanha de vacinação contra febre aftosa no Estado.

O principal objetivo da parceria é promover o desenvolvimento de uma política pública direcionada ao agricultor e agricultora familiar, que possuem rebanhos bovídeos de subsistência com pequeno efetivo animal, que têm mais dificuldade de regularizar-se junto ao programa de febre aftosa no que se refere à vacinação dos animais sobre sua posse.

De acordo com fiscal estadual agropecuária e responsável técnica pelo programa da aftosa na AGED, Margarida Prazeres, os vacinadores regionais são figuras importantes que estão nas comunidades, já trabalham na prática do manejo em propriedades. “Os vacinadores foram capacitados pelo Senar para aplicar as boas práticas de vacinação, melhorar a eficiência da vacinação, diminuir a reação vacinal (calombo) e com isso minimizar as perdas de carne no abate. Eles ainda promovem o desenvolvimento da economia local, pois são profissionais autônomos e vão receber pelo trabalho executado nas comunidades”, afirma Margarida Prazeres, destacando ainda que o vacinador regional também executará a comprovação do rebanho, desobrigando o deslocamento do produtor até o escritório da AGED.

Outros benefícios da capacitação dos vacinadores são o fortalecimento da participação social no programa de febre aftosa, capacitação continuada destes profissionais de forma que sejam parte da vigilância passiva no Estado, potencializando a detecção precoce de sinais compatíveis com doenças vesiculares no rebanho e reação imediata do serviço veterinário oficial.

As análises do programa de febre aftosa no Maranhão, em relação aos índices de cobertura vacinal de rebanho e propriedade, mostram queda no percentual de cobertura vacinal de propriedades, parte desta situação se deve ao fato de que 38,68% dos produtores do Maranhão possuírem até 10 cabeças de bovídeos e estarem muitas das vezes em comunidades distantes dos Centros Urbanos onde há as revendas de vacinas contra febre aftosa. Isso torna dispendioso e trabalhoso o deslocamento destes produtores para cumprir todo o rito de regularização de vacinação que envolve compra da vacina, vacinação dos animais e depois a comprovação desta imunização.

Por conta disso, informações dos representantes do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Esperantinópolis revelam que um produtor de Lago dos Rodrigues necessita, por exemplo, desembolsar no mínimo de R$ 135,00 para cumprir suas obrigações junto à AGED em relação às campanhas de febre aftosa, para imunizar apenas 10 cabeças e ainda desperdiça cinco doses de vacinas. Por isso é grande a expectativa de expansão da capacitação dos vacinadores, alvo da parceria institucional entre AGED, Fetaema e Senar.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao