Veterinários e técnicos estaduais recebem treinamento para atendimento emergencial a doenças

O médico veterinário da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia, Antonio Lemos Maia Neto, foi convidado especialmente para o treinamento dos servidores da Aged.

O médico veterinário da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia, Antonio Lemos Maia Neto, foi convidado especialmente para o treinamento dos servidores da Aged.

Com o objetivo de preparar veterinários e técnicos agropecuários para o atendimento emergencial de suspeitas de doenças animais, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA) promove, de 06 a 09 de dezembro, o Curso de Atendimento a suspeita de enfermidades, com aulas teóricas e práticas, para 36 fiscais agropecuários, no auditório da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

Em caso de suspeita de qualquer enfermidade animal caracterizada como de notificação obrigatória pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), os estados brasileiros contam com o Grupo Especial de Atendimento Sanitário Emergencial (Gease), uma equipe treinada de veterinários e técnicos agropecuários da Aged para investigação e, se confirmada a suspeita, contenção da doença.

“Com esse curso, estamos capacitando nossos profissionais e promovendo a atualização de procedimentos técnicos no atendimento à notificação de suspeitas de doenças. Vamos abordar desde a implantação do Gease, métodos de obtenção de amostras sanguíneas e envio de material para laboratório, principais enfermidades de notificação obrigatória, bem como aplicação de formulários e prática de colheita de material biológico”, explica a médica veterinária e palestrante, Jucielly Campos de Oliveira.

O diferencial desta capacitação consistirá ainda na presença do responsável pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa) da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Antônio Lemos Maia Neto. “O Gease da Bahia foi implantado em 2000 e, por conta desse tempo, fomos convidados para compartilhar nossa experiência de como foi a implantação, os formatos de capacitação que a gente teve ao longo desse tempo, as experiências práticas de atuação, enfim, mostrar o que deu certo e o que pode melhorar”, contou o veterinário.

De acordo com o palestrante, o curso trata de emergências de um modo geral, mas tem foco especial para suspeitas de doenças vesiculares (febre aftosa) e de doenças das aves (como influenza aviária e Newcastle). “Na Bahia, o Gease das Aves tem um nível de organização e uma metodologia de trabalho bem interessantes, por isso, também vamos trazer um pouco dessa experiência para cá”, destacou.