Benzoato de Emamectina na mira: fiscalização percorre mais de 25 propriedades em nove municípios

Os fiscais agropecuários de Balsas, São João dos Patos, Viana e São Luís inspecionaram 27 propriedades rurais.

Os fiscais agropecuários de Balsas, São João dos Patos, Viana e São Luís inspecionaram 27 propriedades rurais.

Com o objetivo de verificar o uso de agrotóxicos no estado, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) fiscalizou propriedades rurais em 9 municípios maranhenses, entre os dias 13 e 17. Durante as operações, que visavam, principalmente, inspecionar o uso do inseticida Benzoato de Emamectina, seis fazendas foram autuadas, totalizando aproximadamente R$ 30 mil reais em multas, por armazenamento e destinação inadequada de embalagens vazias de agrotóxicos.

Desde 2014, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) decretou estado de emergência fitossanitária, relativo ao risco de surto da praga Helicoverpa Armigera, no Maranhão. Em virtude disso, a Portaria Nº 232/2015 autoriza o uso temporário do Benzoato de Emamectina, um inseticida que não tem registro no Brasil, para a contenção da praga. No entanto, a aplicação só pode ser realizada com a autorização da Aged.

Também é competência da Agência, fiscalizar o estoque do produto em depósitos, sua comercialização e a destinação adequada das embalagens utilizadas. “Definimos como prioridade de nossas ações em relação aos agrotóxicos a fiscalização do Benzoato, tendo em vista a excepcionalidade de sua aplicação em situação de emergência fitossanitária. Isso é feito devido aos riscos que esse produto representa para o meio ambiente e para a saúde da população”, explica o diretor de Defesa e Inspeção Vegetal da Aged, Roberval Raposo Júnior.

Nas ações nos municípios de Nova Iorque, Passagem França, São João dos Patos, Colinas, Mirador, Sucupira do Norte, Jatobá, São Domingos do Azeitão e Pastos Bons, foram encontrados 142 kg do inseticida em uma propriedade rural, mas o produtor possuía a documentação necessária e o produto era homologado Agência. “Esse trabalho é uma força tarefa em busca de Benzoato ilegal em propriedades rurais das regiões produtoras de grãos”, complementa Roberval.

Uso de agrotóxicos

Durante a semana, fiscais agropecuários da sede da Agência, bem como das Unidades Regionais Balsas, São João dos Patos e Viana, conduziram ações em 27 propriedades rurais, identificando diversos problemas relacionados ao uso, estocagem e destinação de embalagens vazias de agrotóxicos. “Encontramos armazenamento inadequado de todas as formas, mas essa foi a primeira vez que encontramos agrotóxicos até em um freezer”, comenta o chefe da Regional Balsas, Eugênio Pires.

Das seis propriedades autuadas, duas foram penalizadas pelo armazenamento de embalagens vazias em desacordo com as orientações do fabricante. “Isso acontece quando as embalagens são jogadas no pátio da fazenda, a céu aberto, sem tríplice lavagem e perfuração do fundo”, explica Eugênio. Quatro outras propriedades foram autuadas por não praticarem o armazenamento exclusivo dos defensivos agrícolas, separados de qualquer outro equipamento, em local coberto e protegido.

Comunidades quilombolas e indígenas participam de vacinação oficial contra febre aftosa

Chefe da Regional de Viana aplicando vacina em rebanho de comunidade quilombola, em São Vicente de Ferrer.

Chefe da Regional de Viana aplicando vacina em rebanho de comunidade quilombola, em São Vicente de Ferrer.

Como parte dos esforços do governo estadual para manter o reconhecimento internacional do Maranhão como área livre de febre aftosa com vacinação, as Unidades Regionais da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged) estão promovendo vacinações oficiais e ações de educação sanitária em áreas indígenas, comunidades quilombolas e Projetos de Assentamentos (PA) de todo o estado.

Somente nesta semana, foram vacinados, pela equipe da Aged, mais de 80 bovinos da comunidade quilombola do povoado Juçaral, em São Vicente de Ferrer, e 45 do Projeto de Assentamento Lagoa da Cigana, em João Lisboa. Também foram entregues 2600 doses de vacina para imunizar o rebanho de 10 comunidades indígenas, em Fernando Falcão, Barra do Corda, Jenipapo dos Vieiras, Itaipava do Grajaú, Grajaú e Arame.

Em São Vicente de Ferrer, onde a Unidade Regional de Viana também ministrou uma palestra na escola do povoado de Juçaral, o chefe da Unidade, Antônio José Fernandes, destacou a participação das comunidades e a importância de se ter escolas como parceiras. “Foram vacinados 84 bovinos em ação oficial, o que demonstra a grande importância da iniciativa no seio da comunidade. Essa ação também serve de incentivo para que os criadores ainda não cadastrados tenham a determinação em fazê-lo”, apontou.

Pequenos criadores

Além das vacinações oficiais realizadas com o apoio do Fundo de Desenvolvimento da Pecuária do Estado do Maranhão (Fundepec – MA), a Aged e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) estão oferecendo, durante todo o mês de maio, treinamento de vacinadores de bovinos e bubalinos contra febre aftosa aos 30 municípios do Programa Mais IDH do governo estadual.

Os cursos têm carga horária de 16h, incluem aula prática de vacinação e devem formar de 15 a 20 vacinadores em cada município. Para a Agência, a iniciativa vem complementar as ações estratégicas voltadas aos pequenos criadores. “Há 14 anos, vimos mobilizando os produtores e as autoridades para doarem vacinas. Todo ano doamos vacinas para as áreas quilombolas e indígenas e, este ano, também estamos oferecendo treinamento para esse municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano”, declarou o presidente da Agência, Sebastião Anchieta.

Unidade Regional de Viana reúne estudantes e produtores em lançamento de campanha de vacinação contra aftosa

lancamento-ur-vianaA Unidade Regional de Viana da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) organizou palestras e distribuiu brindes no povoado Prequeu, de Viana, no dia 12, para marcar o lançamento da 1ª Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa.

No evento, que reuniu estudantes da escola municipal São Francisco e produtores locais na Igreja Batista, o chefe da Unidade Regional, Antônio José Vales, reforçou a importância da participação de escolas, igrejas e da comunidade local na defesa sanitária do município. “Os bons resultados ocorrem em decorrência da ação de todos”, enfatizou.

Durante a solenidade, representantes de escolas e igrejas locais manifestaram o seu apoio ao trabalho da Agência e os produtores rurais puderam tirar suas dúvidas. “Agora, sim, eu sei o que a Aged pode fazer por nós que não temos nenhuma condição”, declarou o criador Raimundo Nonato Cutrim Santos.