Aged revoga obrigatoriedade de vacinação de bovinos e bubalinos contra raiva em 43 municípios

A vacinação antirrábica volta a ser opcional em todo o Maranhão. O controle da raiva dos herbívoros continuará sendo feito pela Aged por meio da captura de morcegos e outras ações.

A vacinação antirrábica volta a ser opcional em todo o Maranhão. O controle da raiva dos herbívoros continuará sendo feito pela Aged por meio da captura de morcegos e outras ações.

Desde o dia 16 de janeiro, a vacinação de animais suscetíveis à raiva dos herbívoros passou a ser exigida somente em casos de foco. A medida entrou em vigor após a publicação da Portaria Nº 006, de 10 de janeiro de 2017, da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA), no Diário Oficial do Estado. Segundo a Agência, a decisão foi tomada em virtude dos resultados positivos obtidos no combate à raiva dos herbívoros nos últimos dois anos.

A vacinação anual de bovinos e bubalinos contra raiva era obrigatória em 43 municípios maranhenses desde a publicação das portarias Nº 602/2015, de 10 de agosto de 2015, e Nº 687/2015, de 02 de Setembro de 2015. Açailândia, Pinheiro e Zé Doca estavam entre os municípios onde as portarias vigoravam. Na prática, a obrigatoriedade implicava a restrição do trânsito de animais não vacinados.

De acordo com a responsável pelo Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH) na Aged/MA, Sonivalde Santana, a medida tinha sido tomada devido à existência, nos municípios indicados, de abrigos de morcegos hematófagos, além de registros de ataques e óbitos de pessoas e animais e baixas comprovações de vacinação antirrábica, aliados aos fatores ambientais favoráveis para o desenvolvimento do morcego Desmodus rotundus, principal transmissor da doença.

Com a adoção da vacinação obrigatória, o cenário melhorou. “Após um estudo epidemiológico das áreas de ocorrência de raiva no Maranhão, observamos a ausência de focos da doença nos últimos dois anos nos 43 municípios onde a vacinação era obrigatória. Além disso, conseguimos aumentar o índice de vacinações nessas áreas”, destaca Sonivalde Santana.

Segundo dados da Aged/MA, em 2016, foram contabilizadas 2.617.036 vacinações. E, desde 2015, a Aged realizou 97 ações de captura de morcegos hematófagos e capturou 243 morcegos. Cada espécime capturado pode eliminar até 20 outros morcegos, pelo hábito da lambedura entre eles no abrigo. “Daqui para frente, vamos intensificar a vigilância de animais suspeitos, controlar a população do morcego hematófago Desmodus rotundus, aumentando o cadastramento e monitoramento dos abrigos e as ações de captura de morcego. Também investiremos na caracterização das áreas de risco, que será a principal ferramenta de trabalho do PNCRH/MA nos próximos anos”, garante a veterinária.

Sonivalde Santana ainda reforçou a importância da conscientização dos produtores para o êxito do controle da raiva no estado. “A vacinação é uma das principais formas de prevenção da doença. É importante que o criador continue vacinando seu rebanho para não baixar os índices vacinais do estado. É fundamental também que ele comprove a vacinação nos escritórios da Aged/MA para facilitar nossas análises e estratégias para o andamento do Programa”, ressaltou.

Aged faz contenção de foco de raiva em São Domingos

Após notificação de foco de raiva do herbívoros, a Aged acompanhou a vacinação de 33 bovinos nas proximidades da ocorrência, em São Domingos.

Após notificação de foco de raiva dos herbívoros, a Aged acompanhou a vacinação de 33 bovinos nas proximidades da ocorrência, em São Domingos.

Após a confirmação laboratorial de caso de raiva em um bovino do povoado Centro do Mamédio, em São Domingos do Maranhão, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) acompanhou os procedimentos de atendimento e contenção de foco de raiva dos herbívoros na propriedade de origem do animal e nas propriedades situadas em uma área de até 12 km (perifocal) de distância daquela, na segunda-feira (22). Ao fim da operação, 33 bovinos foram vacinados para prevenir novas ocorrências.

De acordo a veterinária da Unidade Regional Presidente Dutra da Aged, Sônia Maria de Carvalho, o produtor notificou os sinais clínicos do animal para a Agência 24h após a identificação. Depois da notificação, o atendimento da propriedade ocorreu dentro de uma hora, atendendo às exigências legais. “A propriedade foco e as propriedades situadas na área perifocal foram notificadas para efetuarem a vacinação obrigatória dos rebanhos. Avaliamos que o resultado da ação foi positivo, pois os produtores mostraram-se receptivos e colaboraram com informações sobre as propriedades vizinhas”, explica Sônia.

Conforme esclarece a responsável pelo Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH) no Maranhão, Sonivalde Santana, quando se identifica um foco da doença, o produtor é obrigado a realizar a vacinação antirrábica para prevenir novos casos. A vacina contra a doença deve ser reforçada anualmente e, caso o animal esteja sendo vacinado pela primeira vez, também é necessário fazer um reforço 30 dias após a primeira aplicação e comprovar a vacinação nos escritórios da Aged.

“Ano passado tivemos focos da doença no município, o que o caracteriza como uma área de risco. Os produtores devem ficar alerta e vacinar seus animais”, recomendou Sonivalde.

Outra forma de prevenção da doença, realizada pela Aged, é a captura de morcegos hematófagos, principais transmissores da raiva para bovinos e equinos. De acordo com a Agência, novas ações de captura estão programadas para setembro em São Domingos.

Lançamento de Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa reunirá crianças para passeio em fazenda

capa-lancamento

Nesta quinta (05), o governo estadual, representado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged), realizam o lançamento oficial da 1ª Etapa da Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa de 2016, com trilha e teatro para crianças em propriedade rural de São José de Ribamar.

De acordo com o chefe da Unidade Regional de São Luís da Aged, Assuero Batista, a ideia do evento é proporcionar um dia na fazenda para 35 alunos da Unidade Escolar Nossa Senhora da Vitória, vizinha à Fazendinha Renascer, onde acontecerá o lançamento. “Convidamos crianças para mostrarmos um pouco da criação dos animais e da produção. Acreditamos que é o primeiro passo para falar de saúde animal e alimentação segura para esses possíveis futuros produtores”, explicou.

Na ocasião, também haverá teatro de fantoches, que apresentará a peça teatral Febre Aftosa. O teatro faz parte do Projeto Fazendo Educação da Aged, desenvolvido para aproximar as crianças da educação sanitária de uma forma lúdica. O texto da peça tem o objetivo de explicar, com linguagem leve e divertida, o que é a febre aftosa, quais os sintomas e qual a importância da vacinação.

Ações pelo estado

O lançamento da 1ª Etapa da Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa está sendo marcado por diversos eventos em todo o estado. Nos municípios de Balsas, Açailândia, Santa Inês, Caxias e Barra do Corda, as Unidades Regionais da Aged, em parceria com as prefeituras e sindicados rurais, promoveram palestras, vacinações demonstrativas e blitzen para chamar engajar produtores e toda a comunidade na etapa.

Além disso, a Aged e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) estão oferecendo treinamento de vacinadores de bovinos e bubalinos contra febre aftosa aos 30 municípios do Programa Mais IDH do governo estadual. Para a Agência esta iniciativa vem complementar as ações estratégicas voltadas aos pequenos criadores. “Há 14 anos, vimos mobilizando os produtores e as autoridades para doarem vacinas. Todo ano doamos vacinas para as áreas quilombolas e indígenas e, este ano, também estamos oferecendo treinamento para esse municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano”, declarou o presidente da Agência, Sebastião Anchieta.

Primeira etapa de vacinação contra febre aftosa começa em todo o estado

divulgação-campanhaNo domingo (1º), se iniciou o período oficial da primeira etapa de vacinação de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa, que vai até o fim do mês. Entre os dias 02 a 07, todas as 18 Unidades Regionais da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) promovem eventos e panfletagens para divulgar a campanha e conscientizar os produtores maranhenses sobre a importância de continuar vacinando seus rebanhos.

A campanha de vacinação contra febre aftosa faz parte do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção contra a Febre Aftosa (PNEFA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e é promovida e fiscalizada pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) por meio da Aged. Ela acontece, semestralmente, nos meses de maio e novembro no Maranhão. “Nós esperamos ter uma cobertura de 100% e superar as coberturas vacinais que tivemos ano passado. Essa é a 29ª campanha de vacinação que se faz no Maranhão e, sendo sucesso, ela vai nos habilitar para, em um futuro próximo, conseguirmos o nosso sonho que é ser livre da febre aftosa sem vacinação”, declarou o presidente da Aged, Sebastião Anchieta.

Em 2015, o estado bateu recordes de cobertura vacinal nas duas etapas da campanha, com 98,82% do rebanho vacinado em maio e 98,04%, em novembro. Esse ano, para aumentar ainda mais os índices e manter o reconhecimento internacional do Maranhão como zona livre de febre aftosa com vacinação, a equipe do PNEFA da Aged quer diversificar a divulgação e as estratégias de ação entre suas regionais. “A gente conta com vários fatores para conseguir manter o índice: conscientização do produtor, conscientização das revendas, que são parceiros fundamentais, e a fiscalização da Aged, para ver o que ainda está sendo feito errado e o que não está sendo feito”, explica o fiscal agropecuário responsável pelo Programa, Adriano Moura.

A Agência defende que é preciso focar, cada vez mais, no pequeno produtor. Por isso, um das estratégias desenvolvidas foi a de organizar treinamentos, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), para vacinadores de bovinos e bubalinos contra Febre Aftosa nos trinta municípios que fazem parte do programa MAIS IDH do governo estadual. “Nesses municípios, as pessoas têm menos acesso a palestras e treinamentos. Então, a Aged se faz chegar através desse treinamento do Senar junto com a comunidade”, defende Adriano.

Combate à aftosa, brucelose e raiva

Além das ações estratégicas para atingir as regiões de menores índices de cobertura vacinal, em 2016, o governo estadual quer chamar a atenção dos produtores para a necessidade de vacinação dos rebanhos contra brucelose e raiva.

A iniciativa se dá após a realização das primeiras operações de exportação de gado maranhense pelo Porto do Itaqui, em abril, que fez com que o controle zoossanitário fosse reforçado para obedecer todas as exigências da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Assim como a vacinação contra febre aftosa, a vacinação contra brucelose também é obrigatória em todo o território nacional, mas, no caso desta doença, ela é exigida apenas para bezerras de 3 a 8 meses de idade. Já a vacinação antirrábica anual de bovinos e bubalinos, a partir do primeiro dia de vida, é obrigatória em 43 municípios maranhenses, onde a Aged registrou casos positivos de raiva em herbívoros.