Operação Impacto encerra suas ações com inspeção na barreira policial da Estiva

a1dfe5d3-cb71-448e-ade6-bae412adcdc8

Fiscais agropecuários apreendem 145 kg de queijo impróprios para o consumo.

Na sexta (29), a Operação Impacto de Fiscalização do Trânsito Agropecuário concluiu suas atividades com a realização de inspeção na barreira policial do posto fiscal da Estiva, em São Luís, das 09h às 15h. Na ocasião, a Polícia Militar do Maranhão (PMMA), por meio do Comando de Policiamento de Área Metropolitana 3 (CPAM 3), também reinaugurou o posto, que passa a funcionar 24 horas por dia.

Durante a operação, que tinha por objetivo inspecionar cargas transportando animais, vegetais, seus produtos ou subprodutos, a equipe da Unidade Regional de São Luís da Agência Estadual de Defesa Agropecuária apreendeu 145 kg de queijo, registrados pelo Serviço de Inspeção Federal, que estavam sendo transportados no bagageiro de uma van, sem nenhuma refrigeração. O fiscal agropecuário Assuero Batista explica que os produtos que têm necessidade de refrigeração têm uma faixa de temperatura na qual devem ser acondicionados e que, no caso do queijo, vai de 0 a 10° C. “Ele estava sendo transportado em um veículo sem nenhuma refrigeração e, quando checamos a temperatura dele com o termômetro, verificamos que estava com 20°C, ou seja, impróprio para o consumo”, esclarece.

As blitzen da Operação Impacto, que aconteceram durante todo o mês de abril em diversos municípios maranhenses, já haviam constatado problemas de mal condicionamento de alimentos, além de problemas de reutilização de embalagens de agrotóxico e ausência de nota fiscal, documentação sanitária exigida para a identificação da origem dos produtos de origem animal.

Com o funcionamento da barreira policial 24h, no posto fiscal da Estiva, o fiscal agropecuário acredita que a inspeção agropecuária também deve se intensificar. “Para a gente vai ser excelente, porque vai efetivar o nosso trabalho em conjunto com a polícia, já que precisamos desse apoio policial nas abordagens”, declarou o fiscal.

Operação Impacto apreende 200 litros de shoyu em embalagens de agrotóxicos

Produtos apreendidos nas blitzen em Peritoró

Produtos apreendidos nas blitzen em Peritoró

Durante os dias 13 e 14, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) deram continuidade às blitzen de inspeção da Operação Impacto (Aged) e da Operação “Resgate Peritoró” (PRF), na BR 316 e no cruzamento da BR 135 com a MA 119, e autuaram mais de 10 infrações no transporte de animais, vegetais, alimentos e agrotóxicos.

No primeiro dia de inspeção na BR 316, na altura do km 421, a Operação Impacto de Fiscalização do Trânsito Agropecuário apreendeu cerca de 200 litros de molho shoyu etiquetados com o nome da marca Sakura sendo transportados em 10 bombonas de agrotóxico. Bombona é o nome que se dá para o reservatório plástico usado para armazenamento de produtos químicos, que não pode ser reutilizado para outra finalidade. “A legislação proíbe totalmente qualquer tipo de reutilização de embalagens de agrotóxicos. Você não pode usar pra transportar nenhum tipo de alimento ou líquido que vá ser consumido exatamente pela questão dos resíduos. Esses resíduos, sendo consumidos, podem gerar problemas seríssimos de saúde, de intoxicação”, explicou o Diretor de Defesa e Inspeção Vegetal da Aged, Roberval Raposo Junior.

Como resultado das quase 24h de duração das Operações, a equipe de médicos veterinários, engenheiros agrônomos e técnicos de fiscalização identificou novos casos de acondicionamento irregular de alimentos. Foram apreendidos e destruídos 100 kg de cremosinho, que estavam sendo transportados em sacos de papel no bagageiro de um micro-ônibus, uma tonelada de carne bovina sem nota fiscal, transportada também sem acondicionamento e 25 kg de salmão, que estavam viajando ao lado de agrotóxicos.

Nota fiscal e GTA

Após a blitz do dia 14, realizada no cruzamento da BR 135fa9a38f5-9046-482d-8a1f-13620badd07f com a MA 119, no Povoado de Independência, as equipes da Aged e PRF identificaram nove infrações por ausência de documentação. “Chamou a nossa atenção, a quantidade de aves sendo transportadas sem o acompanhamento da Guia de Trânsito Animal, o que exigirá uma atenção especial de nossas próximas ações. Outro fato importante foi a questão da ausência de nota fiscal para o transporte de mercadorias diversas”, avaliou a fiscal estadual agropecuária Michelle Lemos.

Além da intensificação da vigilância epidemiológica sobre animais, vegetais e seus produtos, a fiscal destacou a importância de se fiscalizar a região. “Estamos próximos a duas grandes bacias leiteiras, Pedreiras e Bacabal, e do cruzamento de duas BRs importantíssimas para o trânsito Agropecuário do Estado”, ressaltou. A operação também teve como objetivo a divulgação da Portaria Nº 003/2016, que entra em vigor a partir da sexta (15) e restringe o ingresso de aves vivas tipo frango de corte no estado, aos transportadores de aves e à população em geral.

A Operação Impacto, que inspecionará cargas de interesse da defesa sanitária animal e vegetal até o fim do mês de abril, é uma parceria da Aged com a Secretaria da Fazenda (Sefaz) e conta com o apoio das polícias Rodoviária Federal e Militar.