Maranhão bate novo recorde de vacinação contra febre aftosa

O sucesso na vacinação tem impacto não somente na sanidade do gado, mas em toda a economia do estado.

O sucesso na vacinação tem impacto não somente na sanidade do gado, mas em toda a economia do estado.

De 1º de novembro a 15 de dezembro de 2016, foram imunizados 98,44% de todo o rebanho bovino e bubalino do Maranhão contra febre aftosa. Os dados, divulgados pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA), dizem respeito aos resultados da 2ª etapa da campanha de vacinação contra a doença e marcam um novo recorde para o estado.

“Mesmo com a estiagem, o grande número de focos de queimadas e o agravamento da seca em algumas regiões nesse segundo semestre, conseguimos aumentar a cobertura vacinal nesta etapa e ultrapassar o índice anterior, de 2015, que até então era o maior do estado no período. Com essa conquista, é possível que estejamos novamente entre os estados brasileiros com os melhores resultados”, declarou o presidente da Aged/MA, Sebastião Anchieta.

Com a porcentagem alcançada, que representa a vacinação de 7.473.201 bovinos e bubalinos, em 88.921 propriedades, o Maranhão também conseguiu, pelo segundo ano consecutivo, manter os resultados de todas as campanhas acima de 98%. Antes de 2015, a cobertura máxima alcançada havia sido de 97% em 2011.

Impacto

 Em 2014, o Maranhão foi reconhecido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa com vacinação. Com essa conquista e a manutenção dos índices vacinais acima do exigido pelo Ministério de Agricultura, o estado avançou 74,1% na exportação de couro em relação a 2015, realizou a exportação de 11.288 bois vivos para o exterior pelo Porto do Itaqui e, até mesmo, conseguiu uma projeção de crescimento de 2,9% da área de soja, cultura que também depende desse status sanitário.

“O sucesso na vacinação tem impacto não somente na sanidade do nosso gado, mas em toda a economia do estado. Além da exportação de gado vivo e do aumento da produção de carne processada, para os mercados interno e externo, a indústria de laticínios e derivados de leite e mesmo a cadeia de grãos são influenciadas por esses resultados positivos, que mantém o estado competitivo e em destaque no cenário nacional”, explica o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Márcio Honaiser.

Regionais

 Os grandes polos pecuaristas do estado, como Imperatriz e Açailândia, estão entre as Unidades Regionais da Aged/MA que mais vacinaram seu rebanho, com os índices vacinais de 99,77% e de 99,62%, respectivamente. Somente nessas regiões, foram imunizados mais de 2 milhões e 200 mil animais.

A Regional São Luís e Itapecuru Mirim são outros grandes destaques, com o alcance dos índices de vacinação de 100% e 99,88% dos animais da região. “Estes resultados revelam que o produtor maranhense está consciente da necessidade de proteger o seu rebanho, além de demonstrar o empreendedorismo no setor produtivo. Também não podemos deixar de reconhecer o papel do governo estadual, das associações de criadores e de todos os parceiros da Aged/MA na divulgação da campanha e na intensificação da vigilância sanitária do estado”, destacou Sebastião Anchieta.

Maranhão já alcançou 90% da cobertura vacinal contra aftosa

Chefe da Regional de Viana aplicando vacina em rebanho de comunidade quilombola, em São Vicente de Ferrer.

Chefe da Regional de Viana aplicando vacina em rebanho de comunidade quilombola, em São Vicente de Ferrer.

De acordo com dados do Sistema de Integração Agropecuária (Siapec) da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA), desde o dia 27, o Maranhão já registrou a vacinação de 90% do rebanho bovino e bubalino contra febre aftosa, alcançando a meta estabelecida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e garantindo a manutenção do status sanitário de área livre de febre aftosa com vacinação.

Após o encerramento do período de vacinação, que se estendeu de 1º de novembro a 15 de dezembro, e do período para a comprovação da aplicação pelos produtores, finalizado em 27 de dezembro, a Aged/MA entrou na reta final de contabilização da cobertura vacinal contra febre aftosa, com a digitalização das informações feitas em papel.

“Em municípios com dificuldade de acesso à internet, a comprovação ainda é feita manualmente e, somente depois, é atualizada no Siapec. Por isso, os escritórios da Aged ainda contam com um prazo interno para digitação e atualização de dados no sistema”, explicou o coordenador do Programa Estadual de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) na Aged, Adriano Moura.

Antes da finalização do prazo para inserção dos dados no sistema, a Agência comemora o alcance da meta do Mapa e mantém a expectativa de ultrapassar a marca de 98%. “Desde 2005, o Maranhão alcança índices vacinais acima de 90%. Nosso trabalho foi se fortalecendo e consolidando ao longo dos anos e o produtor maranhense é consciente da importância de vacinar seu rebanho”, destacou o presidente da Aged/MA, Sebastião Anchieta.

A previsão para a divulgação do resultado final da II Etapa da Campanha de Vacinação é para o dia 15 de janeiro de 2017.

Histórico

Em 2016, o Maranhão completou três campanhas consecutivas com índices vacinais acima de 98%. Os números representam os melhores resultados obtidos pelo estado desde 2005. Em maio deste ano, o Maranhão vacinou 98,46% do seu rebanho bovino e bubalino, com isso, foi o estado do Nordeste com o melhor desempenho na I Etapa da campanha.

Além dos bons resultados, 2016 também foi o ano em que a Aged/MA comemorou 15 anos desde o único e último caso de febre aftosa registrado pelo Mapa no Maranhão.

Lançamento de Campanha de vacinação contra aftosa marca Encontro de Criadores de Pastos Bons

O Lançamento da campanha de vacinação fez parte do 4º Encontro de Criadores e Produtores de Pastos Bons.

O Lançamento da campanha de vacinação fez parte do 4º Encontro de Criadores e Produtores de Pastos Bons.

Para ressaltar a importância da prevenção da febre aftosa e outras doenças animais que impactam diretamente na agropecuária, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA), por meio da Unidade Regional São João dos Patos, participou, no dia 11, do 4.º Encontro dos Criadores e Produtores de Pastos Bons, promovido pela Prefeitura Municipal em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o Sebrae, na Fazenda Caraíbas.

Na ocasião, com a presença de cerca de 100 produtores, foi lançada oficialmente a II Etapa da Campanha de Vacinação contra febre aftosa na região, com palestras sobre febre aftosa e brucelose. “Acredito que o evento contribuiu mais uma vez para a sensibilização dos criadores sobre a importância de realizar a vacinação dos seus rebanhos contra a febre aftosa e de comprovar no escritório da Aged”, avaliou a chefe da Unidade Regional São João dos Patos, Waldívia Dias Oliveira.

Nesta II Etapa, todos os produtores maranhenses devem vacinar seu rebanho bovino e bubalino de 01 a 30 de novembro e comprovar no escritório da Aged onde sua propriedade está cadastrada. Na Regional São João dos Patos, a expectativa é de que mais de 330 mil animais sejam vacinados.

Durante a I Etapa, realizada em maio, a mesma região imunizou 322.784 bovinos e bubalino e alcançou um índice vacinal de 97,8%. Em novembro, a Unidade Regional espera alcançar índice superior.

Governo lança campanha de vacinação contra aftosa com foco em avanços econômicos

O Secretário Márcio Honaiser, o presidente da Ascem, Ivaldeci Mendonça, o presidente da Aged, Sebastião Anchieta, o secretário adjunto da Sagrima, Emerson Macedo, e o presidente da Faema, Raimundo Coelho, exibem selos obliterados.

O Secretário Márcio Honaiser, o presidente da Ascem, Ivaldeci Mendonça, o presidente da Aged, Sebastião Anchieta, o secretário adjunto da Sagrima, Emerson Macedo, e o presidente da Faema, Raimundo Coelho, exibem selos obliterados.

Com a presença de representantes de associações e sindicatos de produtores, médicos veterinários, empresários, fiscais e outros representantes do setor agropecuário, o Governo, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA), lançou a II Etapa da Campanha de vacinação contra Febre Aftosa, nesta terça-feira, às 10h, na Sala de Reuniões da Vice-Governadoria.

Para marcar o início do período vacinal, a Aged e os Correios lançaram oficialmente o selo comemorativo de 15 Anos sem Aftosa no Maranhão e convidaram o Secretário da Sagrima, Márcio Honaiser, e os presidentes da Associação de Criadores do Estado do Maranhão (Ascem), Ivaldeci Mendonça Júnior, do Instituto de Agronegócios do Maranhão (Inagro), José de Jesus Reis Ataíde, e da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Maranhão, Raimundo Coelho, para carimbarem o selo postal. Segundo o presidente da Aged, Sebastião Anchieta, a escolha dos nomes para a cerimônia se deu em virtude do papel representado pelas instituições para que o estado conseguisse controlar a doença.

“Não temos dúvida de que os avanços sanitários que conquistamos no setor agropecuário, a exemplo da certificação internacional como área livre de febre aftosa com vacinação, não seriam possíveis sem o trabalho de nossos abnegados servidores e de todos os parceiros que nos acompanham neste trabalho”, declarou Sebastião.

O lançamento também foi marcado pela exibição de um vídeo sobre os percursos percorridos até que o Maranhão estivesse livre de febre aftosa, com ênfase na importância da manutenção da vacinação e do fortalecimento da vigilância sanitária para o crescimento econômico do estado. “Este ano, os Estados Unidos abriram as portas para o Brasil e o porto mais próximo de lá é o nosso. Mas não queremos que o Maranhão seja apenas um corredor, queremos que o gado criado aqui seja exportado”, destacou o secretário Márcio Honaiser.

O presidente da Ascem, Ivaldeci Mendonça Júnior, reforçou o compromisso das entidades de classe em continuar trabalhando pela conscientização dos produtores. “Estamos à disposição da Aged e da Sagrima porque entendemos que o agronegócio é importantíssimo não só para o Maranhão, mas para o Brasil. Já que é ele que segura, há 30 anos, a balança comercial do país. De forma que nós entendemos que estamos juntos em prol do crescimento da economia nacional, por meio do agronegócio”, defendeu.

VACINAÇÃO

De 01 a 30 de novembro, todos os produtores maranhenses devem vacinar seu rebanho bovino e bubalino e comprovar no escritório da Aged onde sua propriedade estiver cadastrada. Na comprovação, o produtor deve apresentar a nota fiscal da vacina, obtida junto ao fornecedor do produto, e a relação dos animais imunizados.

Maranhão entra na segunda etapa de vacinação contra febre aftosa

De 01 a 30 de novembro, acontece a II Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa no Brasil. No Maranhão e em outros 13 estados todo o rebanho bovino e bubalino deve ser imunizado. Para registrar o período, o Governo, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA), realizam, nesta terça-feira (01), às 10h, na Sala de Reuniões da Vice-Governadoria, o lançamento da campanha com uma cerimônia de obliteração do selo comemorativo 15 Anos Sem Febre Aftosa no Maranhão.

O evento, que deverá reunir representantes de diversas entidades do setor agropecuário, tem por objetivo conscientizar autoridades e produtores sobre a importância de continuar vacinando o seu rebanho. “A vacinação contra aftosa acontece, todos os anos, em maio e novembro. Historicamente, temos alcançado índices vacinais inferiores nas segundas etapas. Este ano, queremos reforçar o apelo aos produtores para que consigamos manter nosso índice vacinal acima de 98% e garantir a sanidade do rebanho maranhense”, explica o presidente da Aged, Sebastião Anchieta.

Na última campanha, realizada de 01 de maio a 15 de junho, o Maranhão conquistou a maior cobertura vacinal do Nordeste, com a imunização de 98,46% do seu rebanho bovino e bubalino, equivalente a 7.513.765 animais. Esta foi a terceira campanha consecutiva em que o estado apresentou uma cobertura acima de 98%.

“A manutenção do estado como livre de aftosa é fundamental para o crescimento da pecuária e para a atração de investimentos. Não podemos esquecer que esse foi um fator decisivo para que iniciássemos a exportação de gado vivo genuinamente maranhense, operação que, até o primeiro semestre de 2016, já gerou R$ 42 milhões de reais para pequenos e médios produtores”, ressalta o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Márcio Honaiser.

Selo Comemorativo

Na cerimônia de lançamento da campanha, a Aged também pretende relembrar a trajetória de controle da doença. Em agosto desde ano, o Maranhão completou 15 anos desde o último e único caso de febre aftosa registrado pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no município de Eugênio Barros. Para comemorar a data, foi produzido um selo comemorativo junto aos Correios, que será lançado na ocasião e obliterado por cinco personalidades escolhidas pela Aged.

Aged inicia busca por criadores que não vacinaram seu rebanho contra aftosa

Na Regional Balsas, a busca pelos inadimplentes começou por Riachão e Feira Nova do Maranhão.

Na Regional Balsas, a busca pelos inadimplentes começou por Riachão e Feira Nova do Maranhão.

Após o levantamento da lista de produtores inadimplentes no Sistema de Integração Agropecuária (Siapec) e a convocação dos mesmos aos escritórios da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), fiscais agropecuários da agência iniciaram, neste mês, a busca e vacinação assistida dos 117.211 bovinos e bubalinos que não foram imunizados contra febre aftosa entre 1º de maio e 10 de junho.

“Encerrando a campanha de vacinação, a Aged sai a campo para buscar os criadores que não vacinaram no período certo. Esses criadores que não vacinaram são os que chamamos de inadimplentes. Eles têm que prestar contas para que nós evitemos qualquer problema sanitário”, adverte o presidente da Agência, Sebastião Anchieta.

De 27 de junho a 08 de julho, a Unidade Regional Balsas, que alcançou uma cobertura vacinal de 99,26%, iniciou as visitas aos 26 e 55 criadores de bovinos ou bubalinos inadimplentes em Riachão e Feira Nova do Maranhão, respectivamente. Como resultado, quase 390 bovinos e 50 bubalinos foram recuperados. “Foi feito um planejamento de buscar os criadores que possuem maior rebanho inadimplente. No próximo mês, vamos focar nos criadores inadimplentes de Feira Nova do Maranhão, onde possuímos mais dificuldade de deslocamento”, conta o fiscal agropecuário Edwaldo Marques Junior.

Segundo o planejamento do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) no Maranhão, até 30 de setembro, 100% do rebanho maranhense deverá está protegido da doença. “Outras ações devem ser feitas em conjunto para recuperar os inadimplentes e solidificar as informações de conscientização destes. Queremos trabalhar em conjunto com os agentes comunitários de saúde, para que todos se sensibilizem quanto à importância da vacinação contra a febre aftosa, e intensificar as ações de educação sanitária para conscientização do criador maranhense”, explica o responsável pelo PNEFA na Aged, Adriano Moura.

Primeira etapa

De acordo com os dados divulgados pela Aged, na I Etapa da Campanha de Vacinação contra febre aftosa deste ano, o Maranhão alcançou o índice vacinal de 98,46% e manteve seu status de zona livre com vacinação. A próxima etapa acontece em novembro.

Maranhão conquista índice vacinal contra febre aftosa acima de 98% pela terceira campanha consecutiva

resultado

Após o encerramento do período de comprovação de vacinas em 20 de junho, os resultados da I Etapa da Campanha de vacinação contra Febre Aftosa no Maranhão já estão disponíveis. De acordo com a apuração da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), o estado superou a meta de 90% estabelecida pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e imunizou 98,46% do seu rebanho bovino e bubalino entre 1ª de maio e 10 de junho. A porcentagem representa a vacinação comprovada de 7.513.765 bovinos e bubalinos.

“Mesmo com as dificuldades provocadas pela estiagem, que prejudicou agricultores e pecuaristas em grande parte do estado, alcançamos um resultado muito positivo. Com melhores condições climáticas e o esforço da equipe da defesa agropecuária, esperamos que a segunda etapa seja tão vitoriosa quanto esta”, ressaltou o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Márcio Honaiser

Para a Aged, o alcance de uma cobertura vacinal superior a 98% pela terceira campanha consecutiva demonstra que o produtor maranhense está consciente da importância de manter o gado vacinado. Antes de 2015, quando o estado bateu recorde de cobertura vacinal, o maior índice registrado havia sido de 97%, em 2011.

Na primeira etapa de 2016, o Maranhão também conquistou um novo recorde. Pela primeira vez, 100% dos animais de uma Unidade Regional da Aged foram vacinados. Todos os 8.301 bovinos e bubalinos registrados em São Luís, Alcântara, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar foram imunizados nessa fase. “Na UR São Luís, apesar de termos um rebanho pequeno, enfrentávamos dificuldades em virtude de os produtores estarem muito afastados uns dos outros e devido a carência de associações de produtores. O resultado positivo é fruto do empenho dos nossos funcionários para que alcançássemos a meta. Acabamos conseguindo o objetivo máximo”, destacou o chefe da regional, Assuero Batista Junior.

Viana foi a segunda regional com maior cobertura, registrando a vacinação de 99,99% do rebanho envolvido. Seguida por Açailândia e Chapadinha, com 99,88% e 99,86%, respectivamente.

Segunda fase

Pelo calendário do Mapa, a segunda fase da campanha de vacinação contra febre aftosa ocorre em novembro. Até lá, o governo estadual, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e da Aged, trabalhará na estratégia de vacinação para o período. “Queremos investir ainda mais na educação sanitária e na comunicação. Nosso público alvo é diverso e engloba tanto grandes quanto pequenos produtores. Nosso foco é levar a campanha mesmo aos povoados que não contam com rádio e televisão”, esclarece o presidente da Aged, Sebastião Anchieta.

Período para vacinação de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa chega à reta final

Unidade Regional de Balsas realizando vacinação assistida.

Fiscal da Unidade Regional de Balsas durante vacinação assistida.

O período para compra e aplicação das vacinas da I Etapa da Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa no estado se encerra nessa sexta (10), mas os produtores têm até o dia 20 para comprovar que seus animais estão protegidos. A comprovação é feita no escritório da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) em que a propriedade do criador está cadastrada, com a apresentação da folha de comprovação da vacinação e a nota fiscal de compra da vacina.

De acordo com dados colhidos no Sistema de Integração Agropecuária (Siapec), onde são cadastradas as comprovações, cerca de 60% do rebanho maranhense havia sido vacinado até o dia 08. Segundo a Diretoria de Defesa e Inspeção Animal da Aged, como os dados se referem somente às vacinas já comprovadas, os dados estão dentro da normalidade, uma vez que muitos criadores deixam para comprovar na reta final e que alguns municípios maranhenses apresentam dificuldade de acesso à internet, inviabilizando a atualização do sistema em tempo real.

“Estamos confiantes de que vamos alcançar a meta estipulada pelo Ministério da Agricultura e, quem sabe, de que possamos até ultrapassar o índice registrado na campanha passada. Mas, para tanto, precisamos que os criadores façam a sua parte e não deixem para comprovar nos últimos dias para evitar a formação de fila nos escritórios, bem como a sobrecarga do nosso sistema”, declarou a diretora de Defesa e Inspeção Animal, Viviane Correia.

Ainda de acordo com os dados da Aged, aproximadamente 70% do rebanho cadastrado na Unidade Regional Balsas já teve sua vacinação comprovada, representando mais de 420 mil bovinos e bubalinos. No ano anterior, a mesma regional alcançou os índices de 98,37% e 99,02% nas duas etapas da campanha.

Mesmo com os pastos secos, o fiscal agropecuário da Regional Balsas Karlos Yuri Pedrosa revela que os produtores da região se anteciparam. “Acreditamos que é reflexo já da própria conscientização do criador. Sentimos isso desde o início da campanha. Estamos acostumados com um início parado, mas os produtores se preocuparam em comprar as vacinas e comprovar mais cedo. Além disso, também contamos com o apoio da mídia e intensificamos a divulgação para estreitar esse elo”, explica.

Criadores Inadimplentes

A vacinação de bovinos e bubalinos no Maranhão é obrigatória e necessária para que os animais possam ser transportados. No entanto, também é imprescindível que o produtor esteja atento às datas da campanha para não ficar em débito.

Para estar adimplente, o criador deve comprar a vacina e vacinar até 10 de junho. Além de comprovar até 20 de junho. Aqueles que só comprarem a vacina ou que não comprarem nem vacinarem até dia 10, ou, ainda, que não comprovarem até o dia 20, serão considerados inadimplentes e estarão sujeitos a sanções.

Unidade Regional de Viana reúne estudantes e produtores em lançamento de campanha de vacinação contra aftosa

lancamento-ur-vianaA Unidade Regional de Viana da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) organizou palestras e distribuiu brindes no povoado Prequeu, de Viana, no dia 12, para marcar o lançamento da 1ª Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa.

No evento, que reuniu estudantes da escola municipal São Francisco e produtores locais na Igreja Batista, o chefe da Unidade Regional, Antônio José Vales, reforçou a importância da participação de escolas, igrejas e da comunidade local na defesa sanitária do município. “Os bons resultados ocorrem em decorrência da ação de todos”, enfatizou.

Durante a solenidade, representantes de escolas e igrejas locais manifestaram o seu apoio ao trabalho da Agência e os produtores rurais puderam tirar suas dúvidas. “Agora, sim, eu sei o que a Aged pode fazer por nós que não temos nenhuma condição”, declarou o criador Raimundo Nonato Cutrim Santos.

 

Criadores de Passagem Franca participam de audiência pública sobre vacinação contra aftosa

audiencia-passagem-francaNa terça (11), a Promotoria Pública de Passagem Franca, em parceria com a Unidade Regional de São João dos Patos da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), promoveu uma audiência pública, na Câmara dos Vereadores do município, para divulgar a 1ª Etapa da Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa.

Na ocasião, o promotor Carlos Allan da Costa Siqueira, responsável pelo evento, destacou o papel do Ministério Público nas ações de interesse à saúde pública e segurança alimentar. Coube à Aged, falar sobre a campanha, tirar dúvidas sobre cadastro e comprovação de vacinação, bem como alertar sobre as penalidades aos inadimplentes. “A audiência foi organizada devido ao fato de o município de Passagem Franca não ter alcançado uma cobertura vacinal superior a 90% na 2ª etapa da Campanha de 2015”, explicou a chefe da regional, Waldívia Oliveira.

O evento reuniu um público de 54 pessoas, entre criadores, proprietários de revendas de veterinárias, estudantes e autoridades, com o prefeito José Antonio Gordinho, vereadores, representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Passagem Franca e da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural (Agerp). “Acredito que tenhamos fornecido informações suficientes aos produtores, bem como aproximado a Aged dos problemas peculiares do nosso município. Ademais, a contribuição maior é a tutela da saúde pública e a segurança alimentar da população local”, defendeu o promotor.