Veterinários e técnicos estaduais recebem treinamento para atendimento emergencial a doenças

O médico veterinário da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia, Antonio Lemos Maia Neto, foi convidado especialmente para o treinamento dos servidores da Aged.

O médico veterinário da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia, Antonio Lemos Maia Neto, foi convidado especialmente para o treinamento dos servidores da Aged.

Com o objetivo de preparar veterinários e técnicos agropecuários para o atendimento emergencial de suspeitas de doenças animais, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA) promove, de 06 a 09 de dezembro, o Curso de Atendimento a suspeita de enfermidades, com aulas teóricas e práticas, para 36 fiscais agropecuários, no auditório da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

Em caso de suspeita de qualquer enfermidade animal caracterizada como de notificação obrigatória pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), os estados brasileiros contam com o Grupo Especial de Atendimento Sanitário Emergencial (Gease), uma equipe treinada de veterinários e técnicos agropecuários da Aged para investigação e, se confirmada a suspeita, contenção da doença.

“Com esse curso, estamos capacitando nossos profissionais e promovendo a atualização de procedimentos técnicos no atendimento à notificação de suspeitas de doenças. Vamos abordar desde a implantação do Gease, métodos de obtenção de amostras sanguíneas e envio de material para laboratório, principais enfermidades de notificação obrigatória, bem como aplicação de formulários e prática de colheita de material biológico”, explica a médica veterinária e palestrante, Jucielly Campos de Oliveira.

O diferencial desta capacitação consistirá ainda na presença do responsável pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa) da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Antônio Lemos Maia Neto. “O Gease da Bahia foi implantado em 2000 e, por conta desse tempo, fomos convidados para compartilhar nossa experiência de como foi a implantação, os formatos de capacitação que a gente teve ao longo desse tempo, as experiências práticas de atuação, enfim, mostrar o que deu certo e o que pode melhorar”, contou o veterinário.

De acordo com o palestrante, o curso trata de emergências de um modo geral, mas tem foco especial para suspeitas de doenças vesiculares (febre aftosa) e de doenças das aves (como influenza aviária e Newcastle). “Na Bahia, o Gease das Aves tem um nível de organização e uma metodologia de trabalho bem interessantes, por isso, também vamos trazer um pouco dessa experiência para cá”, destacou.

Veterinários da Aged inspecionam condições sanitárias de revendas de aves

O médico veterinário, Karlos Yuri Pedrosa, foi o responsável pelo recadastramento de 3 estabelecimentos em Balsas.

O médico veterinário, Karlos Yuri Pedrosa, foi o responsável pelo recadastramento de 3 estabelecimentos em Balsas.

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) iniciou, nesta semana, as ações de vistoria e recadastramento de estabelecimentos de revenda de aves vivas em todo o estado. Na Unidade Regional Balsas, três estabelecimentos foram inspecionados e cadastrados pelos médicos veterinários da Agência, no dia 25, a fim de garantir o controle sanitário das aves que chegam às revendas e de verificar se estas têm a estrutura adequada para manter os animais.

Segundo revela a responsável pelo Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA) da Aged, Daniela Póvoas, o recadastramento faz parte das ações de rotina previstas no programa. Este ano, o diferencial é que ele também servirá para a atualização dos dados referentes à avicultura no Sistema de Integração Agropecuária (Siapec). Pelo programa será possível acompanhar, em tempo real, a entrada, a origem e o trânsito de aves no estado.

“Nosso objetivo é ter disponível as informações sanitárias de todas as cadeias produtivas. No caso da avicultura, precisamos estar em dia com a tecnologia porque ela cresce cada dia mais, não só no Maranhão, mas no Brasil. Hoje, o Brasil é o maior exportador de frango, então, temos de estar cada vez mais preparados para conduzir essa cadeia, com a qual se pode oferecer proteína para todas as classes sociais”, destaca o presidente da Aged, Sebastião Anchieta.

Após a divulgação, em abril deste ano, pelo governo estadual, do Plano de Industrialização da Avicultura, a Aged, a Associação de Avicultores do Maranhão (Avima) e as secretarias de Indústria e Comércio (Seinc) e Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) assinaram termos de compromisso para fortalecer a fiscalização e a defesa agropecuária no setor.

Alerta aos proprietários

Durante o recadastramento das revendas de aves vivas, os médicos veterinários da Aged orientam os proprietários quanto às exigências sanitárias e a necessidade de apresentar cópias da Guia de Trânsito Animal (GTA) da chegada de aves até 72h após o recebimento dos animais. “Estamos alertando os donos dessas revendas sobre os possíveis agravos sanitários que podem acontecer caso um estabelecimento tenha uma mortalidade de aves maior que 10%. Em um caso desses, a Aged inicia uma investigação epidemiológica e realiza exames para saber o que está acontecendo, enquanto o estabelecimento fica em quarentena”, explica Daniela Póvoas.