SEFAZ, AGED E SEDIHPOP discutem a organização da cadeia produtiva do caranguejo

 

Por Suyane Scanssette
13/02/2020  16:53

Construir estratégias para organizar a cadeia produtiva do caranguejo foi a pauta da reunião, realizada na manhã desta quinta-feira, dia 13, entre a Secretaria de Estado da Fazenda (SEFAZ), a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) e a Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (SEDHIPOP).

A reunião realizada na sede da SEFAZ, contou com a participação pela AGED, da diretora geral Fabíola Ewerton, da coordenadora de Defesa Animal, Jucielly Oliveira e dos fiscais estaduais agropecuários Hugo Napoleão e Michelle Vargens; do secretário-adjunto de Promoção do IDH da SEDIHPOP, Bruno Lacerda, e pela SEFAZ, do secretário Marcellus Ribeiro, do gestor da Assessoria de Desenvolvimento Institucional, Fernando Rezende e demais técnicos da secretaria.

O objetivo da reunião foi de alinhar os aspectos fiscal, sanitário e social que envolve a cadeia de produção do caranguejo.  Um dos problemas discutidos foi que a produção do caranguejo sai do Maranhão sem pagar impostos, sem transporte adequado e sem atender as questões sociais que envolvem os produtores. A maior parte da demanda de produção sai para o Estado do Piauí, a partir da região de Tutóia e Araioses. Daí a necessidade de planejar ações para controle, mapeamento e assistência social de todos os atores que fazem parte da cadeia de produtiva do caranguejo.

A diretora geral da AGED, Fabiola Ewerton considerou a reunião bastante positiva e pontuou a necessidade de ações que tragam impactos positivos para organização da cadeia do caranguejo. “Cerca de 70% da cadeia produtiva envolve o transporte do animal vivo. Precisamos de forma conjunta fazer ações pontuais para gerar impacto e melhor organizar a cadeia de produção do caranguejo”, destacou.

Já o secretário-adjunto de Promoção do IDH da SEDIHPOP, Bruno Lacerda considerou que as ações de educação e fiscalização são os passos para organizar a cadeia produtiva. Por sua vez, o secretário estadual de Fazenda, Marcellus Ribeiro colocou o apoio da SEFAZ para realizações das ações.

Após os debates, foi acordada a necessidade de construção de um acordo de cooperação entre os órgãos estaduais maranhenses com a Secretaria de Fazenda do Piauí e a ADAPI (Agência de Defesa Agropecuária do Piauí) e com o apoio do IBAMA, ICMBiO e Batalhão de Policiamento Ambiental.  Além disso, a ideia é formatar um grupo de trabalho, entre os técnicos da AGED, SEFAZ e SEDIHPOP, que irá elaborar o plano de ação com atividades para regularizar o transporte do caranguejo no Estado.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao