Reunião de alinhamento entre AGED, SEIR e AGERP visa o beneficiamento da população maranhense

Em reunião de alinhamento entre a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), a Secretaria de Igualdade Racial (SEIR) e a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (AGERP), na última semana, foram discutidas as ações realizadas pelos órgãos e que podem ser desenvolvidas em conjunto entre os entes públicos em benefício do povo maranhense.

Durante a reunião, foram identificadas as atividades que possuem convergência entre as instituições e discutidas quais as formas de participação dos órgãos. A exemplo, com o início da Primeira Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa, a AGED e a SEIR visam realizar em conjunto a sensibilização do pequeno produtor das comunidades quilombolas, além da compra, distribuição e vacinação do gado nessas do Maranhão.

De acordo com o secretário Gerson Pinheiro (SEIR), “é de suma importância que os órgãos trabalhem juntos para resolver os problemas do Estado e de todos os maranhenses. Então, é indispensável, nós da Secretaria de Igualdade Racial, que trabalhamos as populações negras e tradicionais, estejamos em contato com órgãos da importância da AGED e outros órgãos do Estado para que juntos possamos cuidar do povo maranhense”, afirmou.

Além disso, a AGED terá participação nas atividades dos projetos de ações produtivas nas rotas e comunidades quilombolas que envolvem várias modalidades da cadeia produtiva, como por exemplo a avicultura, suinocultura, caprinocultura, piscicultura, meliponicultura, além das atividades que promovem o beneficiamento de produtos de origem animal, como a exemplo camarão seco salgado. Como resultado, a AGED foi convidada a participar das ações nas rotas e comunidades quilombolas planejadas para o ano de 2019.

Para a Diretora-Geral da AGED, a Fiscal Estadual Agropecuária Fabiola Ewerton Mesquita, as ações em conjunto beneficiam diretamente os pequenos produtores, gerenciam o desenvolvimento do Maranhão e garantem a sustentabilidade dos programas institucionais, visto os papéis desenvolvidos pelas secretarias e órgãos que trabalham em conjunto. De acordo com a presidente, “entende-se, por exemplo, que a AGERP dá assistência técnica para a agricultura familiar, logo, nossa proposta consiste em capacitar os técnicos da AGERP para que eles consigam identificar as questões sanitárias e orientar os produtores quanto às questões de manejo sanitário, profilaxia, assim como as notificações obrigatórias das doenças, para que assim, possamos garantir que o pequeno produtor tenha acesso às informações e seja atendido pelo Governo do Maranhão. Além disso, todas as ações devem ocorrer de forma mútua entre as instituições públicas, gerando a melhoria da qualidade dos serviços prestados ao cidadão maranhense”, concluiu.

 

Produção: Assessoria de Comunicação

Texto: Kleo Souza

Revisão: Jacii Martins