Resultados das ações de combate a aftosa são apresentados a criadores

Os avanços do Maranhão visando a classificação sanitária de zona livre de febre aftosa foram apresentados a um grupo de criadores durante reunião, na segunda-feira (22), na Associação dos Criadores do Estado do Maranhão (Ascem).

 

Os avanços do Maranhão visando a classificação sanitária de zona livre de febre aftosa foram apresentados a um grupo de criadores durante reunião, na segunda-feira (22), na Associação dos Criadores do Estado do Maranhão (Ascem). As ações realizadas pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e a Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) foram apresentadas pelo secretário Cláudio Azevedo e pelo diretor geral da Aged, Fernando Lima.

 

Saindo da atual classificação de zona média contra a febre aftosa, que restringe a comercialização dos animais, o estado abrirá novos mercados consumidores para a pecuária maranhense. Atualmente o Maranhão só pode comercializar a carne para os estados que estão na mesma classificação sanitária que ele.

 

Com um rebanho de 7,2 milhões de bovinos e bubalinos – o segundo maior rebanho de bovinos do Nordeste e o terceiro maior rebanho de bubalinos do Brasil –, no primeiro trimestre de 2011 foram abatidos 163.631 animais (bois, vacas, novilhos, novilhas e bezerros) no Maranhão, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). As informações se referem aos estabelecimentos supervisionados pelas inspeções federal, estadual ou municipal.

 

Cláudio Azevedo disse que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou que o Maranhão apresentou o melhor desempenho entre os estados avaliados por uma auditoria do Ministério em sete estados do Nordeste e a região Leste do Pará, obtendo uma avaliação de 89% dos 28 itens satisfatórios do Serviço de Vigilância Epidemiológico prestado pelos órgãos de defesa agropecuária dos estados.

 

O secretário da Sagrima enfatizou que o Maranhão alcançou o maior índice de cobertura vacinal dos últimos 10 anos, com 96,59% de vacinação. “Pela primeira vez buscamos os criadores inadimplentes com a campanha, e mobilizamos toda a equipe da Aged para cumprir as metas acordadas com o Ministério”, afirmou o secretário.

 

Ele fez questão de agradecer o empenho dos criadores na campanha de vacinação, especialmente da diretoria da Ascem e do Fundepec. “Podem ter certeza de que a conquista da zona livre será uma vitória dos criadores maranhenses”, destacou.

 

O presidente da Ascem, Marco Túlio Dominici, fez questão de ressaltar que, além do esforço dos criadores, era justo reconhecer o empenho do Governo do Estado na busca pela conquista do status de zona livre. “É preciso reconhecer que o governo está empenhado e tem feito tudo ao alcance para viabilizar essa conquista”, reconheceu Marco Túlio.

 

A reunião com os criadores, que foi aberta pelo diretor administrativo financeiro da Ascem, Nonato Correia, também serviu para informá-los do cronograma de ações que devem acontecer até a conquista do reconhecimento nacional como zona livre. “Em janeiro o Maranhão fechará as barreiras junto com o Piauí e Pará, que estão formando um novo bloco rumo à classificação de zona livre. A sorologia deve acontecer em dezembro, e logo em seguida o estado será submetido a uma nova auditoria”, explicou o diretor geral da Aged, Fernando Lima.

 

Fernando Lima informou, ainda, que serão sorteadas as propriedades que participarão da sorologia. “Essas propriedades serão isoladas e monitoradas, para que os animais não sejam vacinados durante a segunda etapa da campanha, que deverá acontecer de 15 de novembro a 15 de dezembro”, explicou. “Seguindo esse cronograma, devemos receber o reconhecimento nacional em maio de 2012 e, em novembro do mesmo ano, podemos nos qualificar para o reconhecimento internacional, que será divulgado em maio de 2013”, explicou o diretor. E completou: “Nunca estivemos tão perto dessa conquista”.

 

Reunião

 

Durante toda esta semana, a equipe da Aged de São Luís está reunida com os gestores das 18 unidades regionais e das 79 Unidades Veterinárias Locais (UVLs) para nivelar as informações divulgadas pela auditoria do Mapa. A reunião está acontecendo na sede da Superintendência Federal da Agricultura (SFA), em São Luís.

 

O objetivo do encontro, que foi aberto na manhã de segunda-feira pelo secretário Cláudio Azevedo e pelo diretor Fernando Lima, é também o de discutir as estratégias e o cronograma das ações que serão desenvolvidas pelo órgão estadual de defesa agropecuária. “Queremos melhorar ainda mais o nosso banco de dados, treinar nossos técnicos para a sorologia e realizar todas as ações necessárias para que o Maranhão seja classificado zona livre de aftosa”, informou o diretor geral da Aged.

 

A chefe da Aged de Zé Doca, Lucinéia Nunes Leal, ficou muito feliz com os resultados alcançados pelo Maranhão. “Nós temos aproximadamente 480 mil cabeças de gado na regional e conseguimos uma cobertura vacinal de 92% do rebanho, mas com a fiscalização junto aos inadimplentes já conseguimos que eles vacinassem seus animais e até agora este índice deve estar em torno de 97%. Mas essa busca é diária”, contou ela.

 

Fonte: Sagrima