Propriedade produtora de bananas do Itinga é incluída em sistema que permite comércio interestadual

cachos - transporteApós fiscalização da equipe técnica de Defesa Vegetal da Unidade Regional de Açailândia, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) emitiu um parecer favorável à inclusão da propriedade Cajuapara Fruticultura Ltda. no Sistema de Mitigação de Risco para a praga Sigatoka Negra (SMRSN). Com essa aprovação, a propriedade se torna a primeira produtora de bananas maranhense a poder comercializar seus produtos em outros estados.

De acordo com o diretor de Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal da Aged, Roberval Raposo Júnior, a sigatoka negra, a mais severa das doenças da cultura da banana, foi detectada, no Maranhão, no ano de 2013 levando à perda do status sanitário de área livre da doença. Por representar um grande perigo para o cultivo da fruta em várias regiões do mundo, ao perder o status, o estado ficou impedido de comercializar a sua produção para os estados livres da praga (PI, CE, AL, BA, DF, ES, GO, PB, PE, RN e SE), assim como para aqueles que contêm Sistema de Mitigação de Risco (SMR), como o TO e PA.

Os proprietários do Sítio Barreira, localizado no Itinga, foram orientados pela Aged sobre as exigências necessárias e, posteriormente, a propriedade passou por uma fiscalização detalhada, para o cadastramento das unidades de produção e análise da execução de práticas agrícolas e dos cuidados nas casas de embalagem. “O SMR é a alternativa que possibilita ao produtor a manutenção de sua atividade e comercialização do seu produto nos outros estados e diz respeito a integração de diferentes medidas de manejo de risco de pragas para atingir o nível apropriado de segurança fitossanitária”, explica Roberval.

Com a inclusão no sistema, a propriedade rural está habilitada para o comércio externo e a Aged passa a ser responsável por inspeções e fiscalizações trimestrais no local. De acordo com o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Márcio Honaiser, a habilitação permite a maior exploração comercial dessa cultura. “Com a manutenção do trabalho de inspeção e fiscalização, será possível desenvolver o cultivo da banana dentro da cadeia da hortifruticultura, que é uma das prioritárias no programa ‘Mais Produção’ e retormar sua comercialização para outros estados, gerando emprego e renda”, disse.

Sigatoka Negra

Conforme explica o diretor Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal da Aged, a sigatoka negra é uma praga quarentenária presente (A2). A denominação é empregada para indicar pragas de importância econômica potencial para uma área em perigo, presente no país, porém não amplamente distribuída e sob controle oficial.