Operação de fiscalização volante do Estado identifica problemas de refrigeração de alimentos

Blitz na entrada e saída de Santa Luzia

Blitz na entrada e saída de Santa Luzia

Durante as blitzes da Operação Impacto de Fiscalização do Trânsito Agropecuário, realizadas nos dias 07 e 08, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária (AGED), em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, autuou e apreendeu pescados e queijos que estavam sendo transportados sem o acondicionamento adequado.

A operação, iniciada dia 1º de abril, é uma parceria da AGED, com Secretaria da Fazenda (Sefaz) e as polícias Rodoviária Federal e Militar para intensificar a vigilância epidemiológica em todo o estado e garantir a oferta de produtos de qualidade à população. Ao longo do mês, serão realizadas mais de 80 blitzes, onde serão fiscalizados tanto o transporte de vegetais e animais vivos, bem como de seus produtos e sub-produtos. “A novidade dessa operação, além da intensificação da vigilância epidemiológica em todo o estado, é a inserção e intensificação também da fiscalização sobre os vegetais e seus produtos e subprodutos” explica a fiscal estadual e médica veterinária, Michelle Lemos.

Na ação do dia 07, realizada na BR 135, altura do km 85, em Itapecuru Mirim, a AGED fiscalizou 2.800 kg de pescado e aplicou dois autos de infração, por mal acondicionamento e ausência de nota fiscal, uma documentação sanitária obrigatória. Segundo a equipe de inspeção, os peixes estavam sendo transportados na carroceria de veículos utilitários, fora de caixas de isopor, sem sistema de refrigeração e em contato direto com lona plástica. Na ação realizada na manhã da sexta-feira, 08, na BR 222, no Povoado Jabota em Santa Luzia, a equipe do Escritório de Atendimento à Comunidade de Alto Alegre do Pindaré da AGED, identificou novo problema de refrigeração no transporte de 400 kg de queijo, que foram apreendidos também por falta de documentação que comprovasse sua origem e inspeção.

No primeiro dia da Operação Impacto, já haviam sido identificados 476 KG de frango mal-acondicionados. As condições de refrigeração dos alimentos têm sido um problema frequentemente identificado pelas blitzes, mas o presidente da Agência, Sebastião Anchieta, acredita que ela poderá apontar outros problemas. “Essa operação é fundamental para a defesa agropecuária. Vamos realizar fiscalizações em todo o estado, durante todo o ano, contando com a ajuda de vários parceiros. Isso possibilitará que possamos identificar todos os problemas de trânsito que temos no nosso estado e apresentar uma solução”, reforçou.