Nota de Esclarecimento

                     

ESTADO DO MARANHÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA – SAGRIMA

AGÊNCIA ESTADUAL DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MARANHÃO – AGED/MA

DIRETORIA DE DEFESA E INSPEÇÃO ANIMAL – DDISA

COORDENADORIA DE DEFESA ANIMAL – CDA

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

De acordo com informações veiculadas nas redes sociais sobre casos de pessoas infectadas pela doença da Vaca Louca na região do Médio Parnaíba, cidade de Timon/MA, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão – AGED/MA vem a público esclarecer a sociedade que a enfermidade denominada Encefalopatia Espongiforme Bovina/EEB, popularmente conhecida como doença da vaca louca, é uma síndrome de origem nervosa e neurodegenerativa, que acomete o sistema nervoso central dos bovinos (ruminantes) e é causada pela ingestão de uma proteína anormal denominada de príon, encontrada no tecido nervoso dos animais infectados.

A principal forma de transmissão nos bovinos é por meio da ingestão de alimentos contendo algumas proteínas e gorduras de origem animal. As fontes de alimentos considerados de risco para alimentação animal são: cama de frango, dejetos de criação de suínos, farinha de osso, farinha de carne, farinha de sangue, proibidos terminantemente por meio de leis federais a comercialização e o uso em todo território nacional, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA,

É importante deixar claro e tranquilizar a sociedade que trata-se de uma doença exótica, ou seja, não existe no Brasil, o MAPA e Agências Estaduais de Defesa Agropecuárias em todo o país desenvolvem intensamente ações de prevenção e vigilância epidemiológica, no intuito de evitar a introdução desta doença no território brasileiro.

Por tanto, não procede as informações veiculadas nas redes sociais e na oportunidade queremos tranqüilizar a sociedade e ressaltar que a AGED/MA está mobilizada, alerta e vigilante às medidas de prevenção e monitoramento recomendadas à esta enfermidade.