Ministro Antônio Andrade adia reconhecimento de zona livre de febre aftosa para junho

foto ministro e secretário

Ministro Antonio Andrade e o Secretário Cláudio Azevedo

O Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade, anunciou ao Governo do Maranhão, o adiamento da solenidade de assinatura da portaria ministerial de reconhecimento nacional de zona livre de febre aftosa para os estados do Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Pará, que estava agendada para o próximo dia 20 de maio em São Luís. A solenidade deve acontecer na primeira quinzena de junho.

A assessoria técnica do Ministro Antônio Andrade justificou que o adiamento foi necessário devido agenda que o titular da pasta terá que cumprir em Paris, entre os dias 26 e 31 de maio, quando acontecerá a 81ª Sessão Geral da Assembleia Mundial de Delegados da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), entidade que concede o reconhecimento internacional de zona livre de febre aftosa. “A Assembleia da OIE exigirá articulações comerciais prévias, que vão ocupar o Ministro no período em que ele estaria aqui no Maranhão”, explicou o Diretor Geral da Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED-MA), Fernando Lima.

Além disso, a equipe técnica do MAPA avaliou que seria melhor formalizar o reconhecimento nacional de zona livre após o período oficial da 1ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, em vigor até o próximo dia 31 de maio.

Para o Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Cláudio Azevedo, a conquista do reconhecimento nacional da zona livre deve impulsionar o mercado pecuário no Nordeste e, especialmente, no Maranhão, que detém um rebanho de cerca de 7,5 milhões de cabeças de gado bovino e bubalino, o 2º maior do Nordeste. “Nossa pecuária, eminentemente de corte, deve ter um grande crescimento nos próximos anos, visto que esse é um desejo de mais de 20 anos dos criadores, que agora está tão próximo de se tornar realidade”, destacou o secretário.

Campanha – A 1ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa começou no dia 1º de maio e vai até o último dia do mês. Nesse período, os criadores devem adquirir as vacinas em revendas autorizadas e imunizar seu rebanho para depois apresentar a nota fiscal de compra das vacinas em um escritório da AGED. O período de comprovação da imunização do rebanho vai até o dia 15 de junho. A meta do governo do estado é manter os índices recordes das últimas campanhas, que registram resultados sempre superiores a 90% de cobertura vacinal.