AGED impede que alimento sem procedência chegue ao consumidor de Imperatriz

Fiscais da AGED foram apurar as denúncias de irregularidade do estabelecimento

Suyane Scanssette
20/02/2020   14:53

Os fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Maranhão (AGED/MA) de Imperatriz interditaram nesta semana um laticínio clandestino na zona rural da cidade que estava funcionando de forma irregular. A operação da AGED, que teve o apoio da polícia civil, foi deflagrada após o recebimento de denúncia.

Durante a ação foram apreendidos 150 kg de doce de leite em barra, que foram inutilizados, após os fiscais estaduais agropecuários lavrarem o auto de infração e aplicarem os termos de interdição do estabelecimento e de destruição do produto.

A gestora da Unidade Regional da AGED de Imperatriz, Fernanda Rolim informou que o estabelecimento não possuía registro oficial de serviço de inspeção, nem responsável técnico e a estrutura física do local não seguia as normas estabelecidas na legislação. Os produtos não tinham indicadores de análise química, nem rótulo, nem identificação com CNPJ e nenhum Selo de Inspeção (municipal, estadual ou federal). “Essa é uma concorrência desleal. Por não ter o Selo de Inspeção Municipal ou Estadual ou Federal não temos como atestar a origem do produto e se ele está apto ao consumo. É o Selo de Inspeção que garante a qualidade e a procedência dos produtos de origem de animal que chegam à mesa do consumidor”, esclareceu.

A gestora Fernanda explicou que o proprietário do laticínio foi também orientado sobre o passo-a-passo para obtenção do Selo de Inspeção para que o estabelecimento funcione dentro das normais legais da vigilância sanitária e de boas práticas de fabricação.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao