Defesa e Sanidade Vegetal

Defesa e Sanidade Vegetal são discutidas pela Aged e o Mapa em Reunião Técnica

A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e a Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged/MA), por intermédio da área de Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal, realizam uma Reunião Técnica, nestas quarta (14) e quinta-feiras (15), com o objetivo de promover a reciclagem e o nivelamento técnico da equipe da Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal.

 

 

O evento será realizado na Superintendência Federal de Agricultura do Maranhão, localizada na Praça da República, 147, no Bairro do Diamante e será direcionado aos Fiscais Estaduais Agropecuários e Agrônomos.

A palestra de abertura será feita pelo o engenheiro agrônomo Cósam Carvalho Coutinho, diretor do Departamento de Sanidade Vegetal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), sobre a Importância da Defesa Vegetal no Cenário Mundial. Em seguida, a palestra do engenheiro agrônomo Érico Tadashi Sedoguchi, chefe da Divisão de Prevenção, Vigilância e Controle de Pragas, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) sobre os Programas Oficiais de Combate a Pragas Quarentenárias Presentes.

Outras palestras serão realizadas por fiscais estaduais da Aged/MA e do Estado do Paraná, e representantes do Departamento de Sanidade Vegetal da agência agropecuária do Maranhão com temas como Fiscalização de Trânsito Vegetal; Fiscalização de Comércio de Agrotóxicos; Fiscalização de Receituário Agrônomo e do Uso de Agrotóxicos em Propriedade Rural; Procedimentos para Fiscalização de Desvio de uso de Produtos para Agropecuária; Monitoramento da Mosca da Carambola; e Programa da Sigatoka Negra, estando estas pragas e mais o Fungo da Ferrugem como os principais problemas que comprometem a sanidade vegetal. No Maranhão, as citadas pragas estão controladas, graças ao expressivo trabalho de erradicação, mas em constante monitoramento

Agrotóxicos

Um dos principais temas da reunião, o uso irregular de agrotóxicos tem recebido especial atenção do Departamento de Defesa Vegetal que vem intensificando a fiscalização em propriedades rurais e casas de revenda de agrotóxicos em todo o estado. Até o mês de novembro deste ano foram feitas 1.348 fiscalizações em casas comerciais e propriedades rurais, além de estabelecimentos sem registro, que comercializavam produtos vencidos e/ou fracionados e foram interditados pela Aged.

Para checar se um agrotóxico é regular ou não, é preciso verificar se o produto possui registro do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e se está acondicionado na embalagem original.

O uso de agrotóxicos de forma irregular pode causar intoxicação de vários níveis no ser humano. Além disso, uma embalagem de agrotóxico que não passa pela lavagem correta após o uso, a chamada tríplice lavagem, e é descartada inadequadamente pode causar sérios danos à saúde humana, além de contaminar o meio ambiente.

 

Texto: Rita Cardoso