Comunidades quilombolas e indígenas participam de vacinação oficial contra febre aftosa

Chefe da Regional de Viana aplicando vacina em rebanho de comunidade quilombola, em São Vicente de Ferrer.

Chefe da Regional de Viana aplicando vacina em rebanho de comunidade quilombola, em São Vicente de Ferrer.

Como parte dos esforços do governo estadual para manter o reconhecimento internacional do Maranhão como área livre de febre aftosa com vacinação, as Unidades Regionais da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged) estão promovendo vacinações oficiais e ações de educação sanitária em áreas indígenas, comunidades quilombolas e Projetos de Assentamentos (PA) de todo o estado.

Somente nesta semana, foram vacinados, pela equipe da Aged, mais de 80 bovinos da comunidade quilombola do povoado Juçaral, em São Vicente de Ferrer, e 45 do Projeto de Assentamento Lagoa da Cigana, em João Lisboa. Também foram entregues 2600 doses de vacina para imunizar o rebanho de 10 comunidades indígenas, em Fernando Falcão, Barra do Corda, Jenipapo dos Vieiras, Itaipava do Grajaú, Grajaú e Arame.

Em São Vicente de Ferrer, onde a Unidade Regional de Viana também ministrou uma palestra na escola do povoado de Juçaral, o chefe da Unidade, Antônio José Fernandes, destacou a participação das comunidades e a importância de se ter escolas como parceiras. “Foram vacinados 84 bovinos em ação oficial, o que demonstra a grande importância da iniciativa no seio da comunidade. Essa ação também serve de incentivo para que os criadores ainda não cadastrados tenham a determinação em fazê-lo”, apontou.

Pequenos criadores

Além das vacinações oficiais realizadas com o apoio do Fundo de Desenvolvimento da Pecuária do Estado do Maranhão (Fundepec – MA), a Aged e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) estão oferecendo, durante todo o mês de maio, treinamento de vacinadores de bovinos e bubalinos contra febre aftosa aos 30 municípios do Programa Mais IDH do governo estadual.

Os cursos têm carga horária de 16h, incluem aula prática de vacinação e devem formar de 15 a 20 vacinadores em cada município. Para a Agência, a iniciativa vem complementar as ações estratégicas voltadas aos pequenos criadores. “Há 14 anos, vimos mobilizando os produtores e as autoridades para doarem vacinas. Todo ano doamos vacinas para as áreas quilombolas e indígenas e, este ano, também estamos oferecendo treinamento para esse municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano”, declarou o presidente da Agência, Sebastião Anchieta.