Começou o período do vazio sanitário da soja no Maranhão

Medidas fitossanitárias são obrigatórias pelo prazo de 1º de agosto a 30 de setembro para Região Produtiva I do Estado

As fiscalizações já iniciaram na região de Balsas

Por Suyane Scanssette
11/08/2020 16:38

A Região Produtiva I do Maranhão, que engloba o Sul do Estado e Região Tocantina, já observa o período do vazio sanitário da soja onde não é permitido ter qualquer planta de soja viva na área. O período para esta região que vai de 1º de agosto a 30 de setembro, medidas fitossanitárias são obrigatórias para prevenção, controle e erradicação da Ferrugem Asiática da Soja no Estado do Maranhão.

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) já deu início as fiscalizações, especialmente no Sul do Estado, para que sejam cumpridas as determinações da Portaria AGED nº 352/2019.

Dada a importância socioeconômica da cultura da soja (Glycine max) para o Estado e a sua expansão de forma expressiva em várias regiões é que os produtores devem, de acordo com a Portaria, cadastrar anualmente suas propriedades e suas respectivas Unidades de Produção (UP) junto ao Escritório Regional ou Local da AGED nos municípios e por meio do termo de compromisso a fazerem a adoção de ações e medidas fitossanitárias para a prevenção, controle e erradicação da Ferrugem Asiática da Soja no Maranhão.

De acordo com Eugênio Pires, gestor da Unidade Regional da AGED em Balsas, na safra de 2006/2007 foram detectados aproximadamente 172 focos da Ferrugem Asiática no Maranhão, através do Sistema de Alerta da Embrapa, quando da introdução do fungo no Estado. Com a implementação do vazio sanitário, o Estado caiu para uma média de 7 focos por safra. “Já iniciamos as fiscalizações para que possamos passar mais um vazio com o menor prejuízo aos produtores. Essa é uma doença fúngica que causa enormes danos às lavouras”, explicou.

O gestor da AGED informou as fiscalizações durante o vazio sanitário observam algumas vertentes, cujas ações devem ser por requerimento de pedido de autorização ou apenas comunicadas à AGED por parte dos produtores. Dentre elas estão a semeadura e manutenção de plantas vivas de culturas não hospedeiras da Ferrugem Asiática da Soja; Sistema de Irrigação de culturas hospedeiras, como feijão, pesquisa da soja e soja voluntária que germina na lavoura e deve ser destruída durante o vazio.

O vazio sanitário vegetal para a cultura da soja no Estado do Maranhão tem um segundo período de vazio que é para a Região Produtiva II, que vai de 15 de setembro a 15 de novembro e engloba os municípios que compõem a região Norte, Leste e Oeste do Estado, além das regiões dos Lençóis, Baixada, Médio Mearim e Baixo Parnaíba.  Durante período fica proibido a semeadura e cultivo de soja em sucessão à soja, na mesma área e no mesmo ano agrícola.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao