AGED trata de adequações de projetos da agroindústria familiar da cadeia do mel

Representantes da AGED e Sagrima trabalhando juntos para o fortalecimento da cadeia produtiva do mel no Estado do Maranhão

Por Suyane Scanssette
14/08/2020 10:18

Representantes da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) e da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) estiveram reunidos na tarde de ontem, 13, para tratar das adequações de projetos da agroindústria familiar da cadeia do mel e do fomento desta produção para recebimento de recursos do Fundo Maranhense de Combate à Pobreza – Fumacop.

Os projetos preveem a reforma estrutural de uma agroindústria familiar no município de Maranhãozinho e outra na cidade de Carolina, ambas para fins de registro no Serviço de Inspeção Estadual – SIE. Cabe à AGED a adequação dos projetos da agroindústria do mel e à Sagrima cabe o fomento da cadeia produtiva, baseado em planejamento para o fortalecimento da produção do mel no Estado.

 Participaram da reunião o coordenador de Inspeção Animal da AGED, Marcelo de Abreu  Falcão, a fiscal estadual agropecuária e responsável técnica pelo Setor de Inspeção de Mel e Derivados, Alanna Raissa de Araújo Silva, a zootecnista da Sagrima, Leones Costa dos Santos e a engenheira agrônoma da Sagrima, Rhafaela Aquino Rodrigues.

A discussão sobre a reforma estrutural da agroindústria familiar em Maranhãozinho deverá ser baseado a partir do projeto de mestrado da fiscal estadual agropecuária Alanna Raissa de Araújo Silva, que foi apresentado a todos os presentes durante a reunião. Além disso, foi colocado em pauta a possibilidade de inclusão da reforma da agroindústria familiar localizada em Carolina que se encontra em processo de registro na AGED.

De acordo com a fiscal estadual agropecuária da AGED, Alanna Araújo o recurso disponível no Fumacop para cadeia do mel é que vai possibilitar o fortalecimento da cadeia, ainda que seja pouco recurso. “Com o atual recurso disponível e mediante planejamento em conjunto da Sagrima e AGED para aplicação deste recurso em agroindústrias que estejam em processo de registro na Agência, e considerando a seleção de tais agroindústrias com base em critérios estratégicos referentes ao estágio de adequação em que se encontram e também devido ao potencial da região em que estão localizadas é que estaremos otimizando recursos e promovendo o fortalecimento da cadeia produtiva do mel no Estado”, explicou.

Sobre o Fumacop

O Fundo Maranhense de Combate à Pobreza – Fumacop foi concebido com base na Emenda Constitucional Federal nº 31, de 14 de dezembro de 2000, que, além de criar o Fundo de Pobreza no âmbito federal, autorizou estados, Distrito Federal e municípios a formarem seus próprios fundos.

O Fumacop foi instituído pela Lei 8.205, de 22 de dezembro de 2004, como unidade destinada a captar, canalizar e gerenciar recursos, com o objetivo de diminuir os níveis de pobreza do Estado do Maranhão. De acordo com a lei de criação, os recursos do Fundo devem ser aplicados em programas e ações de nutrição, habitação, educação, saúde, reforço de renda familiar e outros que ajudem a efetivamente diminuir os níveis de pobreza do Estado do Maranhão.

São objetivos do Fundo: identificar e apoiar potencialidades econômicas populares nas regiões do Estado; identificar e apoiar o capital humano, empresarial e institucional atuante nas  regiões e investir em tecnologia, inovação e empreendedorismo para o desenvolvimento local e regional sustentável.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao