Aged realiza levantamento fitossanitário em cultivos de banana no estado

Ação preventiva segue alerta do Ministério da Agricultura para detecção de Praga Quarentenária ausente no Brasil, mas encontrada na Colômbia; trabalho começou em Presidente Dutra

WhatsApp Image 2019-11-27 at 16.11.12

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) está realizando um levantamento fitossanitário em cultivos de banana destinados à comercialização. A ação, que segue um alerta quarentenário emitido pelo Ministério da Agricultura, Pesca e Abastecimento (Mapa) para todo o Brasil, é preventiva, pois tem como objetivo detectar a praga Fusarium oxysporum f. sp. cubense raça 4 Tropical (Foc R4T), que, embora seja ausente no Brasil, foi identificada na Colômbia. No Maranhão, o levantamento será concluído na primeira semana de dezembro.

De acordo com o coordenador de Defesa Vegetal da AGED, Roberval Raposo Júnior, a orientação do Ministério é que o trabalho seja realizado no mínimo em 20 propriedades estado. “O primeiro passo que nós demos no estado, após receber esse alerta do Ministério da Agricultura, foi fazer um levantamento aproximado da quantidade de áreas comerciais de banana. Detectamos que esses plantios comerciais ocorrem, basicamente, em cinco regionais (Chapadinha, Caxias, Imperatriz, Pedreiras e Presidente Dutra) da Aged, e o número de propriedades comerciais estimadas é de, aproximadamente, 343. Decidimos trabalhar entre 8% a 10% do quantitativo das áreas comerciais em cada regional para fazermos esse levantamento fitossanitário e chegamos ao total de 30 propriedades no mínimo para trabalhar no estado inteiro”, detalha.

O trabalho foi iniciado na Unidade Regional de Presidente Dutra, onde foram coletadas quatro amostras, já enviadas para o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Goiás (LFDA/GO), laboratório oficial do Ministério da Agricultura. Segundo Roberval Raposo Júnior, todos os procedimentos seguem o Plano Nacional de Contingência para a praga Foc R4T, estabelecido por meio de instrução normativa do Ministério. “O pessoal entra nas propriedades, verifica se tem plantas com os sintomas da doença mal-do-panamá, pois são muito semelhantes aos dessa praga. O mal-do-panamá é o indicativo para as coletas das amostras. Os bananais com histórico de ocorrência desse Mal são considerados locais-alvo prioritários e as plantas com sintomas devem ser amostradas através de fragmentos de corte do pseudocaule da bananeira e se for identificada planta com essa doença, automaticamente já passa a ser uma planta passível de ser coletada para verificar, por análise laboratorial, se não se trata de Fusarium Raça 4”, destaca.

O fiscal estadual agropecuário Francisco Saraiva, responsável pelo serviço de defesa vegetal na Regional de Presidente Dutra, ressalta a importância desta atividade. “A ação da AGED é muito importante, pois municípios como Joselândia, São José dos Basílios, Dom Pedro e Santo Antônio dos Lopes possuem um total aproximado de mil hectares de cultivos agrofamiliares de banana, assim como inúmeros com nível tecnológico médio e alto que demanda a atenção do serviço de defesa vegetal na região”, enfatiza.

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), as medidas mais eficientes de controle são evitar a entrada da praga Foc R4T e erradicar focos de infecção, já que esta é considerada, atualmente, a maior ameaça da bananicultura mundial.

WhatsApp Image 2019-11-27 at 16.11.10 (1)       WhatsApp Image 2019-11-27 at 16.11.11

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao