AGED promove curso para médicos veterinários

O curso habilita o profissional para coleta e envio de amostras para diagnóstico de mormo

Por Suyane Scanssette
02/03/2020   16:10

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) promoveu nesta segunda-feira, 02, no auditório da Superintendência Federal de Agricultura (SFA/MA), a 6ª edição do Curso de Habilitação de Médicos Veterinários para Coleta e Envio de Amostras para Diagnóstico de Mormo. O curso contou com o apoio da SFA/MA, através da palestra do fiscal federal agropecuário, Bruno Guimarães; do Conselho Regional de Medicina Veterinária e o Laboratório Cernitas.

O curso faz parte das estratégias para prevenção, controle e erradicação de doenças dos equídeos do Programa Nacional de Sanidade dos Equideos (PNSE) e das ações da Coordenadoria de Educação Sanitária e Comunicação (CESAC) da AGED, que promove constantemente o treinamento sobre coleta e envio de material biológico para laboratórios.

De acordo com a fiscal estadual agropecuário Sonivalde Santana, responsável pelo PNSE na AGED, explica que a Agência segue em conformidade com a legislação quando oferece o curso para habilitação dos veterinários. “Estamos cumprindo com nosso papel, ao ofertar os cursos, seguindo as diretrizes do Programa Nacional. Estamos na sexta edição do curso e esse é o primeiro oferecido neste ano. Pretendemos realizar mais cursos para contemplar os demais municípios do Estado, para que os veterinários autônomos possam se habilitar”, informou.

O curso visa atualizar os veterinários autônomos sobre a legislação com relação à colheita e envio de amostras para o laboratório para diagnóstico de Mormo. “A cada ano temos que fazer a habilitação dos médicos veterinários que vão ingressando no mercado. Para isso temos parceria com o Conselho de Medicina Veterinária, que fala da ética do profissional e com a iniciativa privada, como o laboratório Cernitas, que é referência nacional em que todos dão apoio aos cursos que a AGED promove”, explicou João Batista que é o coordenador do CESAC.

Para Douglany Barros, que irá se formar em medicina veterinária ainda este mês, disse que o curso é importante, pois capacita o profissional para atuação no mercado de trabalho. “Aqui vamos aprender sobre ética profissional, legislação e assuntos que capacitam o veterinário para o mercado, com assuntos bem mais específicos do que é trabalhado na academia”, declarou.

Sobre a doença de Mormo

Mormo é uma zoonose que afeta equinos, asininos e muares, cujo agente causador é a bactéria Burkholderia mallei. Não existe tratamento para doença e a notificação e sacrifício são obrigatórios aos órgãos competentes.

O animal infectado apresenta sintomas como febre alta, descarga nasal e tosse, úlcera e nódulos nos membros e abdômen, pneumonia crônica. A transmissão ocorre por contato direto com as secreções e excreções dos animais doentes.

Para o controle e erradicação de Mormo é realizado o sacrifício de animais positivos, enterro ou incineração dos cadáveres, desinfecção das instalações; interdição das propriedades e saneamento do foco e a notificação de qualquer suspeita ao serviço oficial.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao