AGED participa de oficina de desempenho, visão e estratégia no Programa Nacional de Erradicação da Mosca-da-carambola

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), participou, entre os dias 20 a 24 deste mês, na cidade de Belém (PA), da Oficina de Desempenho, Visão e Estratégia (DVE), realizada pelo Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e contou com a presença de representantes do MAPA-Sede, das Superintendências Federais de Agricultura (SFAs) e Agências Estaduais de Defesa Agropecuária dos estados onde há ocorrência da praga (AP, PA e RR) e dos estados classificados como alto risco de introdução e dispersão da praga (TO, MT, AM e MA), além da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA e  setor privado.

O instrumento, desenvolvido pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), que proporciona uma avaliação da capacidade fitossanitária das Organizações Nacionais de Proteção Fitossanitária (ONPF),  foi aplicado para promover alinhamento de visões, interação e construção de estratégias no Programa Nacional de Erradicação da praga quarentenária “Mosca-da-carambola” (Bactrocera carambolae) pelos Órgãos Federais e Estaduais de Defesa Sanitária Vegetal, EMBRAPA e setor privado.

Durante a oficina de trabalho, o instrumento DVE promoveu um processo de autoavaliação, no qual permitiu a identificação do desempenho atual, fragilidades ou limitações, ações e estratégias de melhorias, formando uma visão compartilhada com o setor privado e principalmente, respeitando a realidade e as especificidades de cada órgão institucional envolvido na execução do Programa. Foram avaliadas cinco competências críticas: capacidade técnica; capital humano, físico e financeiro; capacidade física e financeira, interação com as partes interessadas e legislação e proteção fitossanitária.

De acordo com a Fiscal Estadual Agropecuário e Responsável pelo Setor de Pragas Quarentenárias da AGED, Andréa Rodrigues, “Participar dessa oficina de trabalho foi uma oportunidade valiosa de compartilhar informações técnicas e troca de experiências com os colegas que executam ações de prevenção, educação fitossanitária, combate e erradicação da praga. E principalmente, o produto final, resultado dessa oficina de trabalho vai contribuir, para que as ações do Programa de Erradicação da Mosca-da-carambola sejam executadas com eficiência em nosso país”, concluiu.

 

Saiba mais

O Monitoramento da Mosca-da-Carambola é uma operação oficial coordenada pelo Plano Nacional de Erradicação da Mosca-da-Carambola do Ministério da Agricultura, que apresenta como objetivos a erradicação da praga do Estado do Amapá, Pará e Roraima; manutenção das unidades de federação como livres de praga e manutenção das exportações de frutas. No Maranhão, é coordenado pela Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Maranhão (SFA-MA) e executado pela AGED/MA.

Atualmente, existem 90 armadilhas de captura distribuídas estrategicamente pelo Estado e que contam com monitorações quinzenais ou mensais realizadas pelos Fiscais Estaduais Agropecuários. A introdução da praga no Maranhão e a sua disseminação para os demais Estados acarretariam em prejuízos impactantes como: perdas na produção, já que as frutas atacadas pela praga se tornam impróprias para consumo e para qualquer processo de industrialização; risco ambiental, uma vez que pode ocorrer um aumento do uso de agrotóxicos; desempregos, pois a fruticultura é um dos segmentos do agronegócio que mais demandam mão-de-obra.

Produção: Assessoria de Comunicação
Texto: Kleo Souza