AGED participa de Fórum Nacional dos Executores de Sanidade Agropecuária em João Pessoa

Defesa animal, inspeção vegetal, desenvolvimento e saúde pública foram temas tratados na última reunião do Fórum Nacional dos Executores de Sanidade Agropecuária (Fonesa – NE), realizado em João Pessoa no último dia 11.

O setor agropecuário corresponde a uma grande parte da produção econômica brasileira. Hoje, o Brasil mantém um status como um dos países que mais exporta produtos agrícolas no mundo, mantendo relações com diversas nações ao redor do planeta e gerando o aumento do Produto Interno Bruto (PIB). Entretanto, para a boa manutenção do agronegócio no País, se faz necessário a o estabelecimento de parcerias que auxiliem nos processos de desenvolvimento da área, tais como no campo da pesquisa, da defesa, sanidade e inspeção.

Dentre os órgãos responsáveis por esse papel, as agências de defesa agropecuárias desempenham função fundamental nos processos de preservação e continuidade do agronegócio. Cabe a esses órgãos a discussão sobre questões voltadas para o aperfeiçoamento do setor, como por exemplo, a discussão e a cobrança sobre o Projeto de Lei 281/17, em pauta na última reunião do Fonesa-NE.

Durante a reunião foram destacados a instalação da inspeção vegetal pelos estados do Nordeste, o apoio do Ministério da Agricultura, Pesca e Abastecimento (MAPA) visto a retirada da vacina contra a Febre Aftosa na Região, o Projeto de Lei 6299/02 – conhecido como PL do Veneno, e questões voltadas para a desenvolvimento da agropecuária no Nordeste.

Pelo Maranhão, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), discorreu sobre as ações realizadas por todo o Estado, que tem caráter preventivo, educativo e/ou resolutivo, para o progresso do agronegócio maranhense.

De acordo com a Markel®, o Maranhão é tido como um dos principais estados que cresce no panorama do agronegócio. Grande parte disso se deve ao volume de produção e exportação de produtos de origem vegetal, como a soja, que em 2018, exportou um total de  8.346.547 grãos e representando um aumento de 38,32% em relação ao ano anterior (dados da Associação Nacional de Exportadores de Cereais – ANEC).

Para a presidente da AGED, a Fiscal Estadual Agropecuário Fabíola Ewerton, o evento foi uma oportunidade ímpar na produção de conhecimento para o desenvolvimento do agronegócio, uma vez que “este foi um evento muito positivo, pois debatemos a defesa agropecuária do Nordeste com enfoque no desenvolvimento do País e, nesse sentido,  a AGED vai intensificar cada dia mais as suas ações, visando a sanidade do animal e expondo que a defesa agropecuária é um pilar para o desenvolvimento do Brasil”, concluiu.


Produção: Assessoria de Comunicação
Texto: Kleo Souza

Revisão: Jacii Martins