Aged participa da 19ª AGRITEC em Barreirinhas.

Programação encerrada na sexta-feira (8) contou com palestras e oficinas realizadas pela Agência, além do lançamento da II Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa

 

                O lançamento oficial da II Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa, ação desenvolvida pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária (AGED/MA), marcou a abertura da 19ª Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (AGRITEC), realizada na manhã do último dia 6, em Barreirinhas. O  evento foi promovido pelo Governo do Estado, por meio do Sistema de Agricultura Familiar (SAF), formado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF), Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp/MA) e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma/MA).

Durante a abertura do evento, que teve a presença do governador Flávio Dino, a diretora-geral da AGED/MA, Fabíola Ewerton, destacou a importância da vacinação do rebanho nesta etapa e fez a entrega simbólica de uma camisa com a marca da campanha para o governador. Ainda na abertura da AGRITEC, foram assinados vários decretos que beneficiam os agricultores familiares e as agroindústrias. No primeiro dia do evento, a diretora-geral da AGED/MA participou ainda do Fórum de Secretários Municipais de Agricultura do Território Lençóis Maranhenses/Munin/Delta.

                “A Agritec serve pra gente como um exemplo que o trabalho de forma integrada, organizada, estruturada e transversal, principalmente entre os órgãos do Estado, pode gerar grandes resultados, otimizando recursos financeiros, estruturais e humanos, de forma que uma secretaria ou um órgão público possa complementar a atividade do outro e não sobrepor atividades. A escolha do lançamento da II Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa na Agritec significa também um olhar diferenciado que o Governo vem tendo para o pequeno produtor, entendendo que o avanço do Estado contra a Febre Aftosa não beneficia apenas o grande produtor, mas o pequeno produtor e o familiar também”, avalia Fabíola Ewerton.

Ao longo da programação da AGRITEC, a Agência também desenvolveu outras atividades, entre as quais várias ações de Educação Sanitária, que tiveram como temas Raiva, Febre Aftosa e Agrotóxicos. As ações incluiram ainda palestras, apresentações de teatro de bonecos do Projeto Fazendo Educação e distribuição de panfletos educativos. “Foi muito importante a participação da AGED com relação a educação sanitária porque a gente se volta para o público infantil através do Fazendo Educação, que é nosso teatrinho de fantoches. Falamos da aftosa, que estamos em plena campanha, e falamos da raiva, porque está tendo problema de raiva naquela região. Falamos também do uso adequado de agrotóxicos para que as crianças cresçam conscientes da participação nos programas de defesa promovidos pelo Estado”, destaca João Batista, coordenador de Educação Sanitária da Aged.

Outra ação realizada pela AGED/MA foi a palestra sobre Notificação de doenças nos animais, voltada para orientar os criadores para que consigam identificar enfermidades em seus animais. Na ocasião, foi realizada também uma oficina de notificação, na qual os participantes aprenderam a utilizar o formulário de notificação, disponível no site da Agência.

Os impactos dos agrotóxicos na saúde humana e no meio ambiente também foram destaque na programação do evento por meio de uma palestra realizada pela AGED/MA. Classificação de risco dos agrotóxicos, destinação e recebimento itinerante de embalagens vazias, importância do uso de EPIs (equipamentos de proteção individual) foram alguns dos assuntos abordados, como pontua Antônia Lúcia Malheiros, diretora de Defesa e Inspeção e Sanidade Vegetal da Aged.

“Nós levamos informações sobre os impactos do uso dos agrotóxicos porque a gente trabalha toda a regulamentação, a gente exige que a legislação seja cumprida quanto ao uso e destinação correta. Também enfatizamos a importância do uso correto, tanto por causa da saúde humana quanto para o meio ambiente. Então, deixamos bem claro os riscos quando os agrotóxicos não são usados corretamente. Se você está no seu quintal, não faz sentido usar o defensivo químico, melhor o natural. Explicamos também a quantidade correta que o ambiente consegue administrar, bem como a destinação das embalagens vazias, que precisam ser devolvidas para a indústria”, detalha Antônia Lúcia Malheiros (Diretora de Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal da AGED).

Ainda em relação à Defesa Vegetal, a AGED também alertou os produtores sobre os riscos da Sigatoka Negra para o cultivo da banana. “Há uma produção expressiva de banana naquela região e existem pragas que inviabilizam totalmente a produção, como é o caso da Sigatoka Negra. Nós observamos que, quando se trata do cultivo, eles não estavam pontuando a Sigatoka Negra como principal praga. Então, foi importante que nós estivéssemos ali pra deixar claro que existe uma praga que tem um impacto econômico muito forte e que esses agricultores precisam estar conhecendo essa realidade e se preparando para atuar caso haja ocorrências”, acrescenta a diretora de Defesa e Inspeção e Sanidade Vegetal da AGED.

Na programação da AGRITEC, também foram discutidos os procedimentos para registros de agroindústrias. O debate, realizado entre AGED/MA, Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (AGERP), Superintendência de Vigilância Sanitária (Suvisa) e SAF, serviu para sanar as dúvidas dos agricultores familiares sobre o assunto e incentivá-los a registrarem seus empreendimentos junto aos órgãos competentes. Dentro da programação também foram discutidos também temas sobre a temática do caranguejo e sanidade avícola.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao