AGED ministrou uma série de palestras para alunos do curso de medicina veterinária da UEMASUL

Os alunos do curso de veterinária interagiram bastante com os fiscais da AGED

Por Suyane Scanssette
29/10/2020    14:58

Os alunos do 5º período do curso de Medicina Veterinária da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) participaram de uma série de palestras promovidas pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) com o objetivo de promover a educação sanitária na região e compartilhar informações dos principais programas de defesa animal executados pela Agência. A série de palestras aconteceu no período de 16 a 27 de outubro, por meio de plataforma virtual.

Em virtude da parceria institucional entre a UEMASUL e AGED, os responsáveis técnicos pelos Programas de Defesa Sanitária Animal, dentre eles o Programa de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT), Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA), Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH), Programa Nacional de Sanidade Suídea (PNSS) e o Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa (PNEFA), trouxeram aos alunos um panorama da execução dos programas em todo Estado.

“As palestras promovidas pela AGED foram importantíssimas para o conhecimento de como funcionam os programas de sanidade animal existentes no país. Mais importante ainda foram as participações de médicos veterinários que atuam diretamente nesses programas, pois mostraram quais as ações estão sendo executadas no estado, possibilitando um conhecimento mais aprofundado da área, o que me fez aumentar o interesse por essa área de atuação da medicina veterinária. Meu agradecimento a todos os palestrantes da AGED pelo conhecimento compartilhado”, declarou a estudante Ivanise Ferreira Bianco Lopes.

Dentro da disciplina de Epidemiologia e Defesa Sanitária, ministrada pela professora Monalisa Souto, os fiscais estaduais agropecuários da AGED Adriana Prazeres Paixão (PNCEBT/MA), Daniela Póvoas Rios (PNSA/MA), Erick Takashi (PNCRH/MA), Lauro de Queiroz Saraiva (PESS/MA), Margarida Prazeres (PNEFA/MA) e Fernanda Rolim (gestora da Unidade Regional de Imperatriz) tiveram espaço para abordar sobre os diversos Programas de Defesa Sanitária Animal que têm como objetivo promover a prevenção, controle, vigilância e erradicação de doenças, como a brucelose, tuberculose, febre aftosa, raiva, peste suína clássica, entre outras de interesse econômico e relevante para a saúde pública.

A professora Monalisa Souto considerou que a participação da AGED na formação dos alunos foi excelente. “Foi apresentando os programas sanitários e a situação epidemiológica da região e ainda abordando as atividades desenvolvidas pela defesa agropecuária, bem como inserção de todos os profissionais na área da saúde pública e isso foi importante”, destacou.

“O papel da Defesa Sanitária é essencial, pois objetiva a tomada de medidas sanitárias de suporte à saúde animal, abrangendo o bem-estar dos mesmos, à sustentabilidade e a oferta de um alimento seguro”, explicou Adriana Prazeres Paixão, responsável pelo PNCEBT/MA.

Já a responsável técnica pelo PESA, Daniela Póvoas Rios disse que o Programa Estadual de Sanidade Avícola tem como objetivos a prevenção e controle das enfermidades de interesse em avicultura e saúde pública, definindo de ações que possibilitem a certificação sanitária do plantel avícola estadual, favorecendo a elaboração de produtos avícolas saudáveis para o mercado interno e externo.

Abordagem por programa

O Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa (PNEFA) abordou os aspectos clínicos e epidemiológicos da enfermidade, impactos econômicos, sanitários e sociais da ocorrência de um foco. Foram explanados os aspectos normativos do programa e a interrelação com a prática veterinária de campo (vigilância, vacinação, riscos, notificação de enfermidades), assim como as diretrizes do plano estratégico de ampliação da zona livre de febre aftosa sem vacinação e o papel do médico veterinário nesta fase de transição.

Já o Programa Estadual de Sanidade Suídea (PESS) abordou temas que visam o reconhecimento clínico de enfermidades suídeas e a manutenção da saúde do rebanho suíno, concentrando-se nas doenças listadas na Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), como a Peste Suína Clássica e a Doença de Aujeszky, que possuem alto poder de difusão e podem causar muitos prejuízos econômicos aos estados e as enfermidades suídeas de maior importância para nosso Estado. Atualmente, as principais atividades do PESS-MA estão voltadas para o reconhecimento, manutenção e ampliação de zonas livres de doenças e na certificação e monitoramento de granjas de reprodutores suídeos.

O Programa Estadual de Sanidade Avícola (PESA), por sua vez, discorreu sobre os objetivos do programa nacional e estadual, que visam promover o controle sanitário, através do impedimento da introdução de enfermidades exóticas (Doença de Newcastle e Influenza Aviária) e o controle ou erradicação daquelas já existentes. A criação de aves no Estado tem como principais vantagens um mercado em potencial expansão e oferta de proteína de baixo custo para as famílias que criam aves de subsistência e vendem seu excedente aumentando assim a renda familiar.  O PESA/MA desenvolve ações de fiscalização de granjas avícolas comerciais, vigilância a sítios migratórios e propriedades de risco de enfermidades, bem como, o atendimento a suspeitas de doenças de notificação obrigatória de aves.  

A abordagem do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT/MA) apresentou o objetivo do programa que é diminuir o número de casos da brucelose e tuberculose, a estratégia de classificação quanto ao grau de risco, a atuação dos médicos veterinários na realização de diagnóstico para essas doenças, realização de vacinação contra brucelose, além da abordagem relacionada à comunicação junto à AGED em casos confirmados ou suspeitos, por parte dos médicos veterinários, produtores, instituições de pesquisa e população em geral.

Como forma de concluir os trabalhos, no dia 27, houve a apresentação pelos alunos da entrevista realizada na Rádio Maranhão do Sul, com a Fiscal Estadual Agropecuário (Gestora da UR de Imperatriz), Fernanda Rolim, com a abordagem sobre o PNCEBT/MA. A entrevista acabou virando um podcast que você pode acessar aqui.

Acesse aqui o outro podcast sobre a sanidade dos suídeos.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao