AGED inutiliza carga de queijo que não tinha procedência higiênico-sanitária em Caxias

Por Suyane Scanssette
01/02/2021 17:13

Após serem acionados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Fiscais da Unidade Regional da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão em Caxias se dirigiram nesta manhã de segunda-feira, 01, à delegacia da PRF para realizar os procedimentos técnicos e administrativos inerentes à apreensão de 812 quilos de queijo, feita pelos policiais rodoviários. A AGED procedeu com a inutilização do produto, uma vez que o mesmo não tinha origem comprovada, ou seja, não estava registrado em nenhum Serviço de Inspeção Oficial, cujo selo garante um alimento de qualidade, com segurança e inocuidade por conta da fiscalização e dos procedimentos higiênicos-sanitários, conforme estabelecido na legislação vigente.

A apreensão foi feita no domingo, após abordagem de rotina, os policiais identificaram uma carga de queijo tipo mussarela, transportados de forma irregular. O queijo estava em veículo inadequado, sem refrigeração e não possuía origem comprovada, pois não era registrado em nenhum Serviço de Inspeção Oficial. O condutor, o proprietário da carga e o produto foram encaminhados para delegacia da PRF de Caxias. O proprietário foi autuado, por descumprir a legislação sanitária.

Segundo a polícia apurou junto ao proprietário, a carga tinha origem no município de Bernardo do Mearim e seu destino era a capital do Piauí, Teresina.

Os estabelecimentos de processamento e/ou manipulação de produtos de origem animal necessitam de registro em um órgão oficial para seu funcionamento, por meio do Serviço de Inspeção. 

A inspeção higiênico-sanitária tem por objetivo preservar a saúde pública permitindo que a população tenha acesso a alimentos seguros, diminuindo os riscos do contágio de doenças e de intoxicações alimentares.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao