AGED inicia vacinação assistida contra a febre aftosa

foto 01

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAGRIMA), iniciou nesta quinta-feira (13), a vacinação assistida contra a febre aftosa em áreas quilombolas e indígenas. A segunda etapa da campanha de vacinação está acontecendo em todo o estado até o dia 30 de novembro.

O diretor geral da AGED, Fernando Lima, informou que vão ser distribuídas para estas áreas 35 mil doses da vacina, que foram adquiridas com recursos da agência e através de doações do Sistema Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Fundo de Desenvolvimento da Pecuária do Maranhão (Fundepec).

Mesmo subsidiada, a vacinação é realizada pelos criadores responsáveis dessa áreas, sendo, porém, assistida pelos fiscais de defesa animal e assistentes agropecuários da AGED, Segundo as normas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a “vacinação assistida” pode ocorrer com objetivo de orientação, assistência a comunidades carentes ou fiscalização, e possibilita ao serviço oficial – no Maranhão representado pela Aged -, certificar a aplicação da vacina na totalidade dos animais existentes em determinada área. “Essas vacinas são doadas para garantirmos o índice de vacinação nessas áreas diferenciadas. E assumimos essa responsabilidade com o firme propósito de não colocarmos em risco todo processo de vacinação no estado, principalmente agora com a certificação internacional de livre de febre aftosa com vacinação”, explicou Fernando Lima.

As áreas onde será realizada a “vacinação assistida” estão localizadas nos municípios de São Luis, Imperatriz, Pedreiras, São João dos Patos, Viana, Itapecuru, Rosário, Barra do Corda, Zé Doca, Codó, Santa Inês, Bacabal e Pinheiro.

De acordo com dados da Diretoria de Defesa e Inspeção Sanitária Animal da AGED existem, no estado, 79.585 propriedades rurais com a criação de bovinos e bubalinos.

Vacinação e Comprovação

Além de vacinar, o criador deve comprovar a vacinação contra a febre aftosa em um dos escritórios da AGED, apresentando a nota fiscal da compra da vacina. O prazo para comprovação encerra-se no dia 15 de dezembro. Nesta etapa devem ser vacinados cerca de 7,5 milhões de cabeças de bovinos e bubalinos em todos os 217 municípios maranhenses.

O criador que não vacinar seus animais não poderá solicitar a Guia de Trânsito de Animal (GTA), documento emitido e exigido pela AGED para que possa circular com seus animais.

Brucelose

Também durante o período oficial de vacinação e comprovação da imunização contra a febre aftosa, os criadores de bovinos e bubalinos fêmeas, com idades entre 03 e 08 meses, também são obrigados a apresentar os atestados de imunização desses animais contra a brucelose. A obrigatoriedade da vacina também é determinada pelo Ministério da Agricultura, e permitida ao longo de todo o ano. A comprovação, porém, deve ser realizada nos períodos oficiais das etapas de vacinação contra a febre aftosa –nos meses de maio e novembro.

 

Texto: Rita Cardoso