Aged inicia fiscalização das condições físicas e sanitárias de granjas e revendedoras de aves vivas

Equipe da Aged/MA e da ULSAV de Bacabal durante fiscalização

Equipe da Aged/MA e da ULSAV de Bacabal

Entre os dias 11 e 13, a equipe do Setor de Sanidade Avícola da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged) e os fiscais da Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal de Bacabal realizaram vistorias em granjas avícolas comerciais e revendedoras de aves vivas do município, com o fim de observar as condições físicas e sanitárias dos estabelecimentos.

Atualmente, existem 27 estabelecimentos avícolas registrados na Aged. Esse registro garante uma fiscalização mais intensa e maior controle sanitário na produção, como parte das ações do Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA). Além dos estabelecimentos registrados, há um grande número de propriedades cadastradas na Agência e, outras, em fase de registro. “Estamos organizando uma série de fiscalizações nas propriedades que tinham se cadastrado, mas ainda não tinham recebido vistoria. A partir da vistoria, nos emitimos laudos e o proprietário recebe um prazo para se adequar ao que exigido”, explica a fiscal agropecuária, Daniela Póvoas.

Nesta primeira viagem, cinco núcleos da Granja Paulista foram vistoriados e a atualização dos cadastros das revendas de aves vivas, que obrigatoriamente devem possuir Guia de Trânsito Animal (GTA), foi discutida com a equipe da unidade local da agência. “Com o programa Mais Avicultura e os incentivos do governo estadual para a atividade, nosso objetivo tem sido registrar o maior número de granjas possíveis. O que nós ganhamos com o registro é a garantia de mais sanidade”, declarou a fiscal.

Benefícios do registro

De acordo com a legislação brasileira, mesmo os estabelecimentos avícolas comerciais não registrados têm a obrigação de fazer o monitoramento sanitário para a doença de Newcastle, influenza aviária, salmonelas, micoplasmas, além do controle do uso de produtos veterinários. “Os produtores têm que realizar exames de micoplasma e salmonela a cada quatro meses. Esses exames são caros, já que só podem ser analisados em determinados laboratórios, e são de responsabilidade do proprietário se ele não for registrado”, esclarece Daniela.

Uma vez registrados na Aged, a inspeção periódica fica a cargo da Agência, como parte do PNSA. Além da fiscalização e registro de estabelecimentos avícolas, o programa, que existe há mais de 20 anos, realiza o monitoramento sanitário nos plantéis de reprodução para certificação dos núcleos e granjas avícolas como livres de salmonelas e micoplasmas, faz a vigilância de doenças em aves migratórias, entre outras medidas sanitárias.