AGED e Superintendência Federal de Agricultura no Maranhão discutem Termo de Cooperação Técnica

A proposta é fortalecer o Programa Nacional de Erradicação da Mosca-da-carambola no Estado

Por Suyane Scanssette
14/02/2020  15:13

As equipes técnicas da Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) e a Superintendência Federal de Agricultura no Maranhão (SFA/MA) se reuniram nesta quinta-feira, 13, na sede da SFA, para discutir a minuta do Termo de Cooperação Técnica, que visa fortalecer as ações de prevenção e vigilância do Programa Nacional de Erradicação da Mosca-da-Carambola no Estado do Maranhão.

Além de discutirem sobre os termos da minuta, os técnicos da AGED e do SFA pretendem elaborar o Plano de Trabalho, que fará parte do Termo de Cooperação, no qual serão descritos os trabalhos realizados, procedimentos técnicos a serem utilizados,  metas a serem atingidas e as responsabilidades técnicas de cada Instituição.

Os técnicos ainda discutiram sobre a execução de levantamentos de detecção da Mosca da Carambola realizados no Estado – exercício 2020 no MA, em conformidade com a Instrução Normativa nº 28 de 20/07/2017 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) que estabelece os procedimentos operacionais para execução do Programa; classificação de risco alto de introdução e dispersão da praga no Maranhão, segundo a Instrução Normativa nº 02 de 19/01/2018 do MAPA; e aumento do número de armadilhas de captura e detecção da praga no Maranhão, para completar as 100 (conforme exigência de legislação específica da praga).

“A reunião entre AGED  e SFA foi de suma importância para alinharmos nossas ações quanto à execução do Programa da Mosca-da-Carambola com o objetivo de buscarmos a melhor forma de dar continuidade a esse trabalho, em parceria institucional”, afirmou Antônia Lucia Malheiros, Diretora de Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal-AGED.

Já a fiscal estadual de defesa agropecuária, responsável pelo Programa de Prevenção e Controle da Mosca-da-carambola na AGED, Andréa Rodrigues explica que essa mosca das frutas, representa a principal ameaça à fruticultura nacional. “Isso exige prioridade do Ministério da Agricultura em parceria com o serviço estadual de defesa agropecuária, fortalecendo as responsabilidades compartilhadas entre as Instituições. Essa parceria institucional visa assegurar a continuidade e regularidade nas ações de prevenção e vigilância em nosso Estado, executadas desde o ano de 2007”, pontuou.

Participaram da reunião as Equipes Técnicas da AGED, a Diretora de Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal, Antônia Lúcia Malheiros, a Coordenadora de Defesa Vegetal, Keyla Teles e a Fiscal Estadual Agropecuário, Responsável pelo Programa, Andréa Rodrigues e pela Superintendência Federal de Agricultura no Maranhão – SFA/MA, o Superintendente Federal de Agricultura, Fernando Lima, acompanhado dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários.

SAIBA MAIS
A Bactrocera carambolae, também conhecida como Mosca-da-Carambola, é uma praga de origem asiática que preocupa os produtores de frutas em todo o mundo. Apesar do nome, essa praga não ataca apenas a carambola. Só no Brasil, já foram identificadas pelo menos 47 espécies hospedeiras para a praga, entre elas algumas culturas importantes como a manga, o tomate, melão, laranja, goiaba, etc. A preocupação é que a mosca-da-carambola avance para as regiões produtoras de frutas no Brasil, especialmente no Nordeste, o que poderia gerar enormes prejuízos econômicos e sociais ao País.

Atualmente, no Maranhão, existem 90 armadilhas instaladas para detecção da praga distribuídas em Unidades Regionais da AGED: Açailândia (15), Imperatriz (11), Santa Inês (8), Zé Doca (38), São Luís (16) e na UR de Pinheiro, (2).

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao