AGED comemora 18 anos de fundação

Por Suyane Scanssette
19/04/2020    09:06

No dia 19 de abril de 2002, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão surgia através da Lei Estadual nº 7.734, que dispõe de alterações na estrutura organizacional do Governo do Estado. Vinculada à então Gerência de Estado de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (GEAGRO), a AGED, uma autarquia estadual, recebia por meio da lei, os bens, os direitos e as obrigações da Gerência de Planejamento (GEPLAN) referentes às atividades de defesa e inspeção de produtos e subprodutos de origem animal e vegetal. Ainda foram transferidos para AGED/MA os servidores lotados na Supervisão de Defesa e Inspeção de Produtos e Subprodutos de Origem Animal e Vegetal, onde passaram a compor o Quadro de Pessoal da Agência.

A médica veterinária Tânia Duarte, atualmente Diretora de Defesa e Inspeção Sanitária Animal da AGED é uma das pratas da Agência. Ingressou na AGED em 2003 como médica veterinária Fiscal Estadual Agropecuário. Ela já foi Chefe da Unidade Veterinária Local (ULV) de Matinha e de Viana (da Unidade Regional -UR- da AGED de Viana) e Gestora da UR de Viana. Foi Chefe da UVL de São Luís e ao ser transferida para sede da AGED, trabalhou no Setor de Trânsito Animal, na Coordenação de Inspeção de Produtos de Origem Animal (CIPA), respondendo pelo Setor de Mel, Ovos e Agroindústria Familiar e também foi Coordenadora de Educação Sanitária. “A Agência se desenvolveu bastante e muitas coisas foram conquistas para o produtor/criador maranhense. Uma das coisas que mais me marcou em todo esse período foi ver o empenho da equipe em cada conquista do status do Maranhão em relação a vacinação contra Febre Aftosa. Ver a AGED tendo um outro olhar para os Serviços de Defesa Agropecuária, com a inclusão do agricultor familiar e das comunidades tradicionais em suas ações, com foco na segurança alimentar e no desenvolvimento sustentável do Estado é fruto do trabalho com uma equipe competente e comprometida que faz a diferença, pois somos uma grande família”, revelou Tânia.

Durante esses 18 anos, a AGED conquistou o status de livre da Febre Aftosa com vacinação com reconhecimento internacional da OIE – Organização Mundial de Saúde Animal (e o Estado já caminha para ter o status livre da aftosa sem vacinação) o que permitiu que o Maranhão pudesse exportar para o Líbano boi em pé. Ainda são conquistas da AGED: a  equivalência do Serviço de Inspeção Estadual (SIE) ao Serviço Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA); aumento de Agroindústrias Maranhenses no Serviço de Inspeção Estadual; fiscalizações volantes para inspeção do trânsito animal e vegetal, ampliação da AGED com escritórios no Estado, sucesso na coleta de embalagens de agrotóxico reconhecido pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inPEV), planos de intensificação do controle de doenças em animais e de pragas na lavoura, a criação da Lei do Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial, Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (SUSAF), que possibilitará que os produtos da agricultura familiar registrados no SIM e que obtiver equivalência ao SIE possam ser comercializados em todo o Estado do MA, facilitando a inclusão dos produtos de origem animal nos mercados institucionais.

Dos diretores às ações da AGED em 2019 – Nestes 18 anos, já ocuparam o cargo de Diretor Geral da AGED Sebastião Cardoso Anchieta Filho (participou da criação da AGED e esteve à frente da Agência por duas vezes), Luís Augusto dos Santos Almeida, Nina de Oliveira Ramos e Andrade, Fernando Luís Mendonça Lima e Fabiola Ewerton.

Um pouco mais de um ano à frente da AGED, a Diretora Geral, Fabiola Ewerton explicou que sua gestão tem buscado consolidar a atuação da Agência para inclusão produtiva e geração de renda, de acordo com as diretrizes e metas do Governo do Maranhão. “Estamos trabalhando, seguindo o direcionamento do Governo do Estado, para dar condições para que o Maranhão seja mais justo, por isso estamos atuando no meio rural, onde está a potencialidade do Estado, dando assim condições para a população gerar renda e melhorar sua situação social”, destacou.

A AGED está presente nos vários elos da cadeia, desde o início de produção, passando pela inspeção durante o  beneficiamento dos produtos para garantir a qualidade dos produtos que chegam até a mesa do consumidor maranhense e ainda está presente na fiscalização de serviços como revendas agropecuárias, fiscalização de trânsito e  profissionais autônomos ligados ao setor rural. “Realizar todo um trabalho conjunto foi importante para conseguir avanços sólidos. Temos buscado aproximação maior com a população, pois somos prestadores de serviço para o homem e a mulher do campo. Mostramos que somos um órgão de fiscalização, mas acima de tudo somos órgão de apoio, orientação e auxílio para que eles produzam cada vez mais e melhor”, pontuou.

Somente no ano passado destaque para ações de fiscalização em estabelecimentos com ações de defesa sanitária animal, no intuito de garantir a segurança zoosanitária dos rebanhos do Maranhão. As ações desenvolvidas abrangem Laudos de Vistoria de propriedades, Notificações Atendidas, Vigilâncias Epidemiológicas, Ações de capturas e monitoramento de Abrigos de morcegos hematófagos e Propriedades com vacinação (Brucelose e Raiva), Fiscalização em Casas de Revendas de vacinas, entre outras.

Ainda representaram avanços da Agência: padronização de todos os procedimentos administrativos; registro de estabelecimento ao SIE 100% da Agricultura Familiar; capacitação com 100% dos fiscais que atuam nos Postos Fixos de Fiscalização Agropecuária; além da manutenção de todos os índices das 2 campanhas de vacinação.

Foram realizadas fiscalizações em estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção Estadual (SIE) para controle higiênico-sanitário de produtos e subprodutos de origem animal. Além disso, foram registrados novos estabelecimentos no SIE, entre Usinas de Beneficiamento, Abatedouros, Unidades de Beneficiamento de Produtos não Comestíveis e Fábricas de Laticínios. Já em relação aos estabelecimentos inspecionados em cobertura vegetal, as fiscalizações realizadas foram para garantir condições fitossanitárias adequadas para a produção de alimentos de qualidade, tais como Inspeção de propriedades, de Máquinas e de Viveiros, Monitoramento de Pragas e Vazio Sanitário.

Outro destaque foi a realização, periódica, de palestras em eventos agropecuários destacando os principais aspectos da defesa agropecuária. As ações de conscientização sobre a importância da prevenção, controle e erradicação das doenças dos animais, da sanidade dos vegetais, da segurança e qualidade dos produtos e subprodutos agropecuários, entre outros temas, foram uma importante aproximação com diversos públicos.

Futuro da Agência – De acordo com Fabiola Ewerton, o foco de trabalho em 2020 serão as ações de campo, vigilância sanitária e agropecuária. “A nossa equipe vai estar mais próxima das propriedades para observar o plantel, o rebanho, a produção para identificar, previamente, eventuais doenças e danos ao rebanho maranhense”. A diretora da AGED convoca a população para que todos sejam parceiros deste trabalho, comunicando a Agência quando identificarem morte de animais ou perda de produção vegetal.

“Vamos fortalecer o SISBI, fortalecer o SIE, com equivalência ao Selo de Inspeção Federal, apresentando as indústrias que irão receber o selo para comercializar em todo território brasileiro. Estamos fortalecendo a equipe, com tudo convergindo com o plano de governo de combate a pobreza, de melhoria do Maranhão e avanço das questões sociais e econômicas do Estado”, finalizou.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao